A busca pela estrutura ótima de capital

A busca pela estrutura ótima de capital

Em um país com características econômicas como as do Brasil, ter fôlego para investir e desenvolver um negócio com dinheiro próprio é o sonho de muitos empresários, mas essa nem sempre é uma possibilidade viável e factível. Sendo necessário a busca pela estrutura ótima de capital.

Mesmo havendo empreendedores de sucesso, que fazem suas empresas crescerem de forma agressiva em um determinado e curto espaço de tempo, uma hora ou outra surge a necessidade de um aporte adicional de capital.

É por isso que, para uma companhia surgir ou crescer, muitas vezes o capital externo é o caminho. E é então que empresários e empreendedores acabam sendo acometidos por dúvidas quanto à contração de capital externo para sua empresa, tais como:

  • Quando é a hora certa de levantar investimento ou captar recursos externos?
  • É realmente necessário conseguir um investimento?
  • Um empréstimo pode ser uma boa alternativa para minha empresa?
  • Quais os benefícios e os problemas trazidos pelo capital de risco?

Nesse momento é hora de analisar qual a estrutura ótima de capital para o seu negócio.

Estrutura ótima de capital

Para um estudo bem fundamentado sobre a estrutura de capital mais apropriada para sua empresa devem ser levados em consideração alguns fatores, sendo os principais:

  1. Nível de maturidade do negócio
  2. Nicho de mercado
  3. Rentabilidade
  4. % de capital próprio x % de capital de terceiros

Segue uma breve análise sobre cada um.

Nível de maturidade do negócio

Negócios em fase inicial ou startups tendem a se financiar com recursos próprios. Já que nesse momento o principal foco é a sobrevivência do empreendimento, não havendo possibilidades de oferecer garantias para o pagamento de uma eventual dívida na contração de capital externo.

Empresas com nível maior de maturidade podem ter acesso ampliado ao capital de terceiros. Dado que há um histórico a apresentar. Esse histórico também ajudará a demonstrar o fluxo de pagamentos da contração dessa dívida. Levando em consideração não só o montante principal contraído, bem como todos os encargos, juros e taxas que são corriqueiras nessa operação.

Ainda nessa fase, empresas que possuem um Business Plan focado no crescimento dos negócios podem atrair outros interessados em participar da expansão, assumindo também os consequentes riscos. Fundos de investimentos, denominados de Privaty Equity, ou mesmo operações no mercado de capitais, abertura de capital ou emissão de debêntures aparecem como fortes candidatos a financiar um negócio bem estruturado.

Nicho de mercado

Empreendimentos focados em negócios de maior risco tendem a ter um custo de captação maior do que aqueles focados em setores menos arriscados e já consolidados, como serviços e produtos fortemente demandados.

Rentabilidade

Empresas que possuem elevada rentabilidade geralmente são mais bem vistas pelos agentes financiadores do que aquelas que apresentam baixo retorno. Lembrando que rentabilidade e lucratividade possuem significados diferentes, principalmente para a análise da estrutura ótima de capital.

Rentabilidade é confundida com lucratividade, no entanto implica uma análise mais abrangente. Seu conceito está relacionado à capacidade do investimento em um determinado produto gerar lucro.

Para saber se uma empresa ou um produto é rentável, é preciso verificar se os ganhos obtidos superam o investimento feito no estoque ou no próprio negócio.

% de capital próprio x % de capital de terceiros

Uma forma de incrementar as operações é por meio do uso da alavancagem financeira. Na qual o empreendedor opta por usar uma maior parcela do capital de terceiros para financiar seus negócios. Esse incremento pode também ser demonstrado quando a empresa opta por uma Valuation. Já que, empresas alavancadas tendem a ter um maior valor de mercado. Uma vez que, os riscos, inerentes à operação, estão nas mãos de terceiros.

O ponto de equilíbrio reside em manter estabilidade na relação entre a capacidade de gerar lucros e caixa em nível superior ao custo e amortização da dívida. A alavancagem só acontece quando a rentabilidade dos investimentos é superior ao custo real do passivo. Em suma, a empresa deverá escolher o mix de financiamento que maximize a rentabilidade dos capitais investidos no empreendimento. Esse talvez seja um dos instrumentos mais importantes para o sucesso ou fracasso de um negócio!

Assim, uma estrutura de capital bem elaborada maximiza os lucros da empresa. E pode ser utilizada como excelente ferramenta de alavancagem financeira. No entanto, não se deve esquecer de que se trata de uma das áreas mais complexas na tomada de decisões financeiras. Uma vez que está diretamente inter-relacionada com outras variáveis. A ajuda de consultorias ou auditoria independente pode facilitar esse estudo e o acesso aos diferentes tipos de capital.

A essência do sucesso

Alguns administradores financeiros denominam estrutura ótima de capital a essência desse sucesso. Essa estrutura pode resultar no equilíbrio entre risco e retorno que acaba maximizando os preços das ações de uma empresa no mercado.

Portanto, o capital externo muitas vezes é algo que ajuda as empresas a crescer mais rápido, mas pode trazer complicações. Cabe a você, empreendedor, descobrir a hora certa e as condições ideais para ir atrás de uma captação de recursos.

Yuri Areco
Divisão de Gestão e Finanças
BLB Brasil Auditores e Consultores


Saiba como o Valuation auxilia na estrutura ótima de capital. Clique no banner abaixo!

ebook sobre valuation o método de avaliação de empresas

http://www.blbbrasil.com.br/artigos/estrutura-otima-de-capital/

Compartilhe

Facebook Linkedin Twitter Google Plus E-mail

BLB Notícias

Assine nossa newsletter e receba boletins com notícias sobre a BLB Brasil e informações sobre o mercado.

BLB Notícias - Box
Enviando...
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]