Quanto vale meu negócio? Aprenda a calcular o valor da empresa

Quanto vale meu negócio? Aprenda a calcular o valor da empresa

9 minutos de leitura

Você já passou por alguma situação em que precisou calcular o valor de uma empresa? Se sim, você certamente deve saber que a resposta para essa questão pode ser muito mais difícil do que parece. Se não, agora é o momento certo de se preparar para ter, pelo menos, uma ideia de como mensurar o valor do seu negócio.

Para isso, explicaremos neste texto algumas técnicas amplamente utilizadas pelo mercado. Os parâmetros, premissas e métricas não são sempre os mesmos, no entanto, servem como base para negociações entre  empresários e investidores.

Logo, conhecer e saber calculá-los é imprescindível para chegar preparado a uma reunião de negócios. Quer saber como fazer esse cálculo? Confira o post de hoje!

Como é feito o valuation?

Antes de começarmos cabe definirmos os termos. “Valuation” é a expressão utilizada em inglês para representar a avaliação econômico-financeira de uma empresa. Idealmente, tal avaliação é feita por um economista ou especialista em finanças, com amplo entendimento de contabilidade.

Em primeiro lugar, devemos esclarecer que não existe tal coisa como o “valor exato de uma empresa”, mas sim um intervalo de confiança para o seu valor. Para empresas de capital aberto, é comum o valuation se aproximar do valor de mercado da Companhia. Esse último é obtido simplesmente multiplicando o número de ações disponíveis pelo preço à vista no mercado. Caso as ações da companhia estejam “mais baratas” que o valor encontrado no valuation, pode haver um bom sinal de investimento, visto que a empresa estaria subavaliada.

Quanto vale uma empresa?

A teoria de finanças é vastamente aplicada para calcular o valor de um negócio. Por exemplo, o cálculo do preço justo de um título de dívida do governo nada mais é do que o valor dos pagamentos futuros desse título trazidos a valor presente descontados pelos juros dessa dívida.

O valuation faz uso dessa regra de ouro e tem se mostrado bastante eficaz. Por esse motivo, para o mercado de investimentos é muito relevante descobrir quanto a empresa ainda pode render no futuro. Esse número deve explicar um pouco do histórico do negócio, mas, principalmente, suas expectativas para os próximos anos.

Um negócio vale o quanto ele ainda pode crescer e essa é uma importante lição para empresários e empreendedores de todos os ramos.

Qual a importância disso para o negócio?

Especialmente em tempos de crise, o valuation é uma ótima ferramenta para avaliar se o dinheiro investido na empresa trouxe resultados concretos para seu crescimento ou se foi apenas uma forma de mantê-la aberta e funcionando.

Ao fazer essa análise você também aprofunda seus conhecimentos sobre a produção e a dinâmica empresarial. Na grande maioria dos casos, é possível descobrir com exatidão quais são os itens que valorizam uma instituição (value drivers) para o mercado e quais são aqueles que a fazem valer menos (value destroyers).

Isso pode ser interessantíssimo do ponto administrativo, pois oferece uma visão mais clara da estratégia que deve ser seguida para que a companhia se fortaleça, se diferencie competitivamente e alavanque seu crescimento tanto na produção quanto no valor de mercado.

Caso haja a necessidade de compra ou venda da parte de um dos sócios, o valuation serve como balizador do preço a ser pago de forma justa, sem prejudicar nenhum dos envolvidos e garantindo bons negócios.

Por último, estudar a evolução do valor da empresa com o passar dos anos e das variáveis macroeconômicas ajuda o empresário a definir estratégias de crescimento mais consistentes — assim como facilita a criação de metas eficientes para os diversos cenários mercadológicos possíveis.

Qual é o método utilizado no cálculo?

Bom, agora já sabemos que o valor de uma empresa se encontra no futuro e não no seu desempenho histórico. Então, qual seria a melhor ferramenta para chegar a esse valor? Acompanhe!

Fluxo de caixa descontado

A forma mais utilizada pelo mercado é o chamado “fluxo de caixa descontado”. Essa análise permite fazer uma projeção de quanto a empresa geraria de fluxo de caixa livre nos próximos anos e trazer esses fluxos à valor presente, descontados pelos riscos inerentes a cada negócio. Mais à frente mostraremos como é feito o cálculo.

Seu principal ponto negativo é que são utilizadas variáveis bastante subjetivas para chegar ao valor final, o que pode alterar significativamente o resultado. Por isso é imprescindível que esse trabalho seja executado por um profissional experiente que conheça do negócio, do mercado e tenha uma base sólida em finanças. Premissas erradas, projeções fictícias trarão um valuation totalmente arbitrário para a empresa.

Múltiplos de mercado

Uma alternativa muito comum são os “múltiplos de mercado”. Nesse caso, o desempenho econômico de um negócio é comparado ao de empresas do mesmo setor. Os múltiplos mais usados são EV/EBITDA (Enterprise Value/EBITDA) e P/L (Preço/Lucro). Por exemplo, se queremos avaliar uma empresa do segmento de vestuário, podemos multiplicar o EV/EBITDA de uma companhia de vestuário cotada em bolsa de valores com o EBITDA da empresa que se deseja avaliar para obter o valuation.

A principal desvantagem desse método é o fato de ele não mensurar o estilo de gestão ou outros diferenciais competitivos específicos de cada companhia. No entanto, sua praticidade e facilidade é notória para comparar 2 empresas de maneira rápida.

Valor patrimonial

Por fim, chegamos ao método do valor patrimonial. Esse é o que mais se aproxima do que pessoas inexperientes em valuation imaginam quando usamos falamos em avaliação de empresas. Nesse método é mensurado o valor líquido gerado pela empresa desde sua fundação. Para isso, subtraímos o passivo do ativo, valores encontrados no Balanço Patrimonial.

O método do VP é mais usual em empresas não mais operacionais ou em caso de falência. Ele é criticado por não levar em conta a continuidade da empresa e seu potencial de crescimento.

No entanto, é normal que, durante uma negociação, investidores e empresários utilizem mais de uma forma de cálculo, complementando-as para ter mais segurança no negócio e margem de negociação.

Como calcular o valor da empresa pelo método do fluxo de caixa descontado?

O fluxo de caixa descontado é a forma mais comum de aferir o valor da sua empresa. Para fazer o cálculo, são necessários três passos essenciais:

  1. Estimar o fluxo de caixa da empresa pelos próximos períodos. Não há um limite para essa previsão, mas o mercado costuma utilizar uma média de cinco anos nas análises. Após o período de cinco anos (chamado período explícito) é projetada uma perpetuidade;
  2. Definir uma taxa de desconto, que corresponde ao risco inerente à empresa. Essa taxa é composta entre o custo de capital próprio e de terceiros;
  3. Atualizar os valores em questão, trazendo-os para o presente.

Com tudo isso em mãos, chega a hora de partir para a matemática, que é a soma dos fluxos de caixa trazido a valor presente:

 

Como calcular o valuation?

 

Sendo que:

  • n = Número de períodos projetados;
  • FCE = Fluxo de caixa do período;
  • i = Período do fluxo de caixa;
  • g = Taxa de crescimento da perpetuidade; e
  • WACC = Risco do negócio.

As equações podem assustar, mas é por meio delas que economistas e financistas chegam a um valor que seja o mais preciso possível para o fechamento de negócios. Por isso, caso você precise fazer o valuation da sua empresa e não tenha familiaridade com a parte matemática, conte com a ajuda de um profissional experiente.

Quando realizar essa estimativa?

Algumas companhias utilizam o valor da empresa como forma de conhecer sua saúde financeira, mas na maioria dos casos esse número é calculado para efetivar negociações. Por isso, você poderá realizar essa estimativa nas seguintes situações:

  • Aporte de investimentos por terceiros que justifique a cessão de parte da empresa;
  • Compra e venda de participações societárias;
  • Compra ou venda da empresa em sua totalidade;
  • Fusões e aquisições de negócios;
  • Para obter financiamento para projetos.

É comum que, nesses casos, sejam utilizadas variáveis diferentes entre empresário e investidor para determinar o risco da empresa. Por isso, ao requisitar o valuation da sua instituição, a BLB Brasil entregará uma versão otimista, realista e pessimista para abranger os diversos cenários futuros que são incertos por definição.

Lembre-se de que os investidores tentarão reduzir ao máximo possível o investimento para maximizar os retornos obtidos. Por isso, esteja pronto para receber propostas abaixo do esperado e se prepare para argumentar com um bom valuation em mãos.

Ter em mãos o valor de sua empresa ajuda você a tomar decisões mais profissionais em negociações. Além disso, esse número pode tornar você um gestor mais focado em estratégias criadoras de valor para guiar a empresa rumo ao crescimento.

Por isso, neste texto, nós ensinamos como calcular o valor do seu negócio. Agora cabe a você fazer os levantamentos necessários e decidir como utilizar essa informação a seu favor para fechar contratos, captar investimentos e trazer mais resultados para a sua empresa.

Gostou do texto? Compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude outros empresários a descobrir como calcular o valor da empresa pode ajudar a fechar negociações com mais benefícios!

O tema deste artigo está relacionado com o tema do curso “Valuation: do método à prática”, elaborado pela BLB Escola de Negócios, nas modalidades A Distância (EAD) e In Company.

Raphael Bloch Belizario
Consultor em Fusões e Aquisições da Divisão Societária e de M&A na BLB Brasil

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *