Você sabe mesmo o que é contabilidade de hedge?

Você sabe mesmo o que é contabilidade de hedge?

9 minutos de leitura

A contabilidade de hedge, também conhecida como Hedge Accounting, é um instrumento utilizado na gestão e proteção de riscos financeiros. Por meio da aplicação de regras específicas de contabilidade de hedge é possível reduzir, e em alguns casos até mesmo eliminar, a instabilidade dos resultados contábeis de um negócio.

Neste artigo, você vai aprofundar seus conhecimentos sobre o tema, entendendo melhor os conceitos que constituem a contabilidade de hedge, além de compreender a função desse instrumento nas estratégias de gestão e crescimento de um negócio e a sua aplicabilidade na prática empresarial.

Descubra como essa metodologia pode ser uma solução interessante para seus clientes, principalmente os que se apoiam no desenvolvimento e na inovação em suas gestões. Acompanhe!

Significado da expressão “hedge”

O termo “hedge” remete a proteção, sendo, na prática, uma transação compensatória que tem o objetivo de proteger um indivíduo (ou empresa) contra possíveis prejuízos relacionados à oscilação de preços.

No âmbito empresarial, durante todas as suas atividades a gestão precisa ter um controle dos ativos e passivos, assumindo compromissos e realizando transações e investimentos. Esses movimentos estão, naturalmente, passíveis de riscos associados a, por exemplo, variações de preços, taxas cambiárias, juros, avaliações de créditos, entre outras situações comuns de mercado.

O hedge, conceitualmente, tem a função de proteger a empresa desses riscos por meio da utilização de instrumentos financeiros que podem vir a compensar alterações e variáveis como as mencionadas acima.

É uma estratégia pouco abordada no Brasil, mas que já representa impactos significativos no mercado empresarial internacional. Conhecer e aprofundar o estudo sobre o tema é um diferencial que vai ajudar o contador a desenvolver seus serviços oferecendo soluções modernas e efetivas para o planejamento estratégico e contábil das empresas atendidas.

Instrumento do hedge

Quando se pensa em estratégias de hedge é importante ter em mente a necessidade de direcionar o instrumento para um objetivo claro e específico dentro da organização empresarial.

Dessa forma, podem ser instrumento do hedge tanto um ativo financeiro não derivativo designado, quanto um derivativo designado ou um passivo financeiro não derivativo.

A definição do instrumento de hedge vai depender de diversos fatores que devem ser avaliados conjuntamente pelo contador e o gestor. O instrumento está relacionado às características individuais do negócio e aos objetivos que o gestor empresarial deseja alcançar.

A contabilidade de hedge

A possibilidade de aplicação da metodologia de hedge no âmbito contábil está prevista no Comitê de Pronunciamento Contábil nº 38. Muito embora não exista uma legislação completa e específica sobre o tema, ele já é mencionado por órgãos reguladores.

A metodologia de hedge é opcional e poderá ser aplicada com o objetivo de registrar ganhos e/ou perdas oriundas de instrumentos financeiros derivativos no mesmo período contábil em que o objeto do hedge for aplicado.

Para usar a contabilidade hedge no negócio é necessário atender a alguns requisitos essenciais para a aplicação e processamento da metodologia:

  • Definir e designar os documentos formais da metodologia hedge e do seu objetivo dentro da organização;
  • Mapear o plano de gestão da entidade e as possíveis ameaças que podem ser protegidas pelo hedge;
  • Orientar os gestores e as equipes de colaboradores sobre a metodologia, conceitos, aplicabilidade e resultados que devem ser alcançados;
  • Definir as expectativas dos gestores em relação à eficácia da metodologia de contabilidade de hedge;
  • Manter um controle para verificar a eficácia do hedge.

A contabilidade de hedge e a norma internacional

Muito embora inexista uma normatização específica, é importante que o empresário e o contador tenham em mente que essa metodologia pode ser aplicada em qualquer situação, desde que não esteja em desacordo com as demais legislações vigentes, tanto em âmbito nacional quanto internacional.

Leia também -  Sistemas Tributários comparados: Brasil e outros países

Nesse sentido, as práticas de contabilidade de hedge devem ser alinhadas às melhores práticas contábeis, evitando, dessa forma, o descumprimento da lei.

Conheça algumas das boas práticas relacionadas à contabilidade hedge e alinhadas à Norma Internacional de Contabilidade IAS 39:

Conceito (39.85)

A contabilidade de hedge atua no sentido de reconhecer no resultado os efeitos compensatórios provenientes de modificação no valor de instrumento de hedge e de itens objetos do mesmo.

Tipos de operações (39.86)

As operações são classificadas em três tipos:

  • Hedge de valor justo: trata-se da proteção contra mudanças no valor de ativos ou passivos ou de compromissos não reconhecidos contabilmente. Ainda pode ser aplicado sobre uma parcela de ativo, passivo ou compromisso particular que impacte no resultado final;
  • Hedge de fluxo de caixa: aplicação da metodologia com o escopo de proteger contra variações de fluxo de caixa relacionadas a riscos específicos ligados ao ativo ou passivo ou com transações que possam afetar negativamente o resultado;
  • Hedge de investimento líquido: aplicado em casos de operações estrangeiras de risco.

Relações de hedge (39.88)

Quando a empresa define a aplicação do hedge, deve providenciar, junto do profissional responsável (contador), um documento que contenha as seguintes informações:

  1. Instrumento do hedge;
  2. Item objeto da aplicação do hedge;
  3. Risco a ser objeto do hedge;
  4. Objetivo da estratégia de gerenciamento de risco e da estratégia de utilização da contabilidade hedge;
  5. Como será mensurada a sua eficácia;
  6. Possibilidade de cancelamento ou continuidade da aplicação da contabilidade de hedge;
  7. Previsão de situações adversas;
  8. Definições individualizadas, variáveis de acordo com as especificidades de cada negócio.

A contabilidade de hedge só pode ser aplicada por profissionais com conhecimento técnico e expertise na área. Por tratar-se de uma metologia muito específica, é importante aprofundar conhecimentos sobre os conceitos e sua aplicabilidade frente as necessidades individuais de cada negócio.

Na BLB Brasil Escola de Negócios você pode acompanhar os melhores conteúdos focados no desenvolvimento e aperfeiçoamento profissional.

Implementando a contabilidade de hedge

A implementação da contabilidade hedge requer o seguimento de algumas etapas que vão auxiliar na organização e na determinação dos resultados obtidos por meio da metodologia.

Etapa Inicial: identificação

A primeira etapa da contabilidade de hedge servirá para identificar a origem da necessidade de aplicação da metodologia e a análise para verificar se as formas de aplicação do hedge podem gerar um descasamento contábil.

Esse passo é importante, pois trata-se do mapeamento e da definição da aplicação da melhor metodologia de acordo com as especificidades do negócio.

Segunda etapa: categorização

Momento em que é definida qual será a categoria de hedge aplicada ao negócio. São três as categorias atualmente utilizadas:

  1. Hedge de Valor Justo;
  2. Hedge de Fluxo de Caixa;
  3. Hedge de Investimento Líquido no exterior.

Terceira etapa: identificação da natureza do risco e período

Definida a categoria, a próxima etapa trata de identificar a natureza do risco do objetivo de hedge e os prazos. Nesse momento deverá ser avaliado e identificado qualquer risco inerente à transação definida na primeira etapa da aplicação do hedge.

É essencial que o profissional documente todos os riscos que estão sendo protegidos pela contabilidade de hedge, além das informações a respeito das estratégias.

Quarta etapa: identificação do instrumento

Superadas as três primeiras etapas, chega o momento de identificar o instrumento derivativo ou não derivativo que cobrirá os riscos identificados na terceira etapa.

Leia também -  Empresa sem Compliance é empresa sem dono

Quinta etapa: eficácia da estratégia de contabilidade de hedge

Etapa em que são realizados testes de efetividade com o objetivo de demonstrar a eficácia da aplicação da contabilidade de hedge para os resultados do negócio. Podem ser feitos testes de prospecção e de retrospecção:

  • Testes de prospecção: desde o início a contabilidade de hedge deve ser efetiva, trazendo resultados perceptíveis para a empresa. A avaliação feita em prospecção objetiva proteger os itens envolvidos no hedge, além de medir os resultados.
  • Testes de retrospecção: ocorre por meio da mensuração por períodos. Também traz resultados eficazes e rapidamente perceptíveis pela empresa.

Sexta etapa: documentação

A sexta etapa deve ser realizada desde o início e trata da documentação de todos os passos realizados desde o estudo e a análise até a aplicação do hedge no negócio. Nessa etapa deve constar o objeto, instrumento, natureza dos riscos, objetivos gerais e específicos, e as estratégias e métodos a serem utilizados para medição da efetividade.

Sétima etapa: monitoramento

O monitoramento é a etapa que vai trazer a apresentação dos resultados trazidos pela aplicação das estratégias contábeis de hedge. A cada balanço publicado, a empresa deverá avaliar a efetividade de aplicação do hedge.

A manutenção e a continuidade da estratégia vão depender dos objetivos da empresa e do acordo firmado entre o contador e a pessoa jurídica. Por isso, é muito importante alinhar as expectativas e objetivos antes do início do trabalho.

Mensurando a eficácia da contabilidade de hedge

A eficácia da contabilidade de hedge pode ser mensurada de diversas formas, e essa avaliação pode ser feita, por exemplo, durante a elaboração das demonstrações contábeis anuais ou intermediárias.

Igualmente, a eficácia pode ser avaliada por meio de um estudo de comportamento e da avaliação de dados estatísticos produzidos pela empresa no decorrer do processo de aplicação da contabilidade de hedge.

Por que as empresas implementam a contabilidade de hedge

O principal objetivo das empresas ao implementarem a contabilidade de hedge é corrigir ou melhorar os resultados existentes entre o registro do instrumento derivativo e da transação protegida, visando reduzir ou eliminar a instabilidade dos resultados contábeis.

Assim, a contabilidade de hedge é um instrumento altamente eficiente para permitir que as empresas melhorem e mantenham uma constância nos seus resultados contábeis.

Mesmo não sendo uma metodologia tão difundida nacionalmente, a tendência é que o mercado conheça e a cada dia busque mais as soluções trazidas por ela. A contabilidade ocupa uma posição estratégica dentro das organizações, garantindo proteção de investimentos, melhora nos resultados e segurança em relação aos riscos financeiros inerentes a qualquer atividade empresária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *