Contabilidade empresarial: o que é?

Contabilidade empresarial: o que é?

16 minutos de leitura

A contabilidade empresarial tem se tornado fundamental para companhias de todos os portes. Isso porque ela ajuda a melhorar seus processos financeiros e fiscais, garantindo um crescimento otimizado e adequado às normas governamentais.

Contando com um bom planejamento estratégico e tributário nessa área, é possível tornar as atividades organizacionais mais ágeis e confiáveis, além de reduzir custos com impostos, otimizar gastos e ter maior embasamento para direcionar investimentos corretamente.

Por esse motivo, o papel dos profissionais que atuam nesse campo (contadores, auditores contábeis, controllers etc.) tende a se valorizar fazendo com que eles sejam cada vez mais requisitados pelas corporações.

Vale ressaltar que os benefícios de se contar com procedimentos eficientes em contabilidade empresarial vão além de lançamentos e controles contábeis, podendo impactar positivamente nas estratégias de mercado, preços de vendas e tomadas de decisão dos gestores.

O que é a contabilidade empresarial?

Se existe um ponto em comum entre boa parte dos empreendedores é em relação ao que pensam sobre a questão tributária no país. Muito embora a quantidade de impostos, taxas e tarifas seja alta, principalmente para as empresas, de uma maneira geral, o retorno disso costuma ser insatisfatório. Isso sem falar nas dificuldades que a questão legal impõe aos gestores, como a necessidade de fazer um constante acompanhamento das alterações decorrentes da conjuntura política do país.

Por isso, há uma demanda crescente das empresas de se adequarem às exigências fiscais do governo, além de compreenderem os métodos utilizados na avaliação, verificação e detecção de incorreções e inconformidades nos relatórios contábeis das organizações, pois são métodos que a cada dia se mostram mais modernos e eficientes graças ao avanço da tecnologia.

O surgimento do SPED é um exemplo disso. O Sistema Público de Escrituração Digital é uma obrigatoriedade que veio para facilitar o relacionamento entre Fisco e contribuintes. Entretanto, não é incomum ver casos em que empreendedores, tanto de pequenas e médias empresas quanto de grandes companhias, encontram dificuldades para acompanhar as suas exigências.

Tendo isso em vista, as empresas precisam acompanhar esses aspectos com processos contábeis dinâmicos, eficazes e devidamente estruturados para as necessidades corporativas. E é nesse ponto que a contabilidade empresarial surge como solução.

Contabilidade Empresarial

A contabilidade empresarial envolve a soma de atividades e instrumentos contábeis direcionados ao âmbito empresarial, ou seja, às rotinas profissionais dentro das organizações. Ela inclui processos fiscais, tributários, previdenciários, legais e entendimento das legislações comerciais necessárias para o funcionamento das corporações.

Basicamente, a contabilidade empresarial engloba os processos contábeis orientados para manter uma empresa funcionando de forma regularizada junto ao governo. Além disso, ela também fornece relatórios, análises e estudos para que os gestores entendam melhor os aspectos econômicos do negócio. Assim, ela permite aos gestores basearem suas ações e decisões em critérios racionais, o que garante a eles agirem com maior segurança e eficácia na sua tomada de decisão.

Qual a sua relevância no mercado?

A contabilidade empresarial não diz respeito somente à burocracia (embora uma empresa precise se dedicar a ela também), que consiste no ajuste de processos tributários e fiscais da organização em conformidade com a legislação vigente. Ela também entrega soluções, ferramentas e informações à gestão, dando aos gestores maiores condições para a construção de estratégias econômicas mais eficazes.

Isso também garante a segurança necessária para embasar ações na hora de decidir sobre o futuro do negócio. Ou seja, a contabilidade empresarial entrega soluções e fornece suporte para a chamada contabilidade gerencial. Dessa forma, as ferramentas, rotinas e procedimentos técnicos, como inventários, relatórios, conciliações e livros diários, tornam-se instrumentos que fornecem dados gerenciais para os gestores conduzirem melhor suas empresas.

Vale também mencionar que a contabilidade empresarial está presente nas médias e grandes corporações por meio de diversas áreas e setores, como o de controladoria, de auditoria contábil e do departamento fiscal e tributário.

Parcerias

Escritórios de contabilidade voltados para a contabilidade empresarial também costumam ser vistos como parceiros importantes das organizações. Aliás, mais do que isso, eles são fundamentais para as empresas que não possuem profissionais e setores próprios para lidarem com processos ligados a essa área. Especialmente as médias, pequenas e microempresas, que podem ser regularizadas com maior facilidade por meio deles.

Sendo assim, vale lembrar que existe um grande mercado de trabalho para profissionais ligados à contabilidade. Entretanto, é importante ressaltar que se trata de um campo que exige muitas competências profissionais que envolvem capacidade de análise e compreensão de cenários.

É preciso ser capaz de processar dados, fazer avaliações e fornecer indicadores — ou outras informações — aos gestores. O objetivo é administrar a empresa de forma otimizada. É por isso que o profissional contábil moderno precisa ter habilidades e competências que vão além do trivial.

Como são feitos os processos e atividades da contabilidade empresarial?

Os processos e atividades da contabilidade empresarial são focados em diversos aspectos: trabalhistas, fiscais, tributários, previdenciários, legais, dentre outros que fazem parte da contabilidade de uma empresa. Eles são feitos por profissionais especializados, que podem ser contadores ou técnicos em contabilidade, conforme as incumbências e necessidades de cada tipo de processo.

Financeiro

Outros departamentos costumam auxiliar em tais atividades. É o caso do financeiro, no planejamento estratégico de finanças e em rotinas econômicas. Enquanto isso, o jurídico colabora na adequação e no aconselhamento em relação às leis e regulamentações.

Sobretudo, para fornecer apoio aos gestores na já mencionada contabilidade gerencial, é importante que as práticas adotadas estejam de acordo com as exigências governamentais e os padrões de excelência do mercado. Além disso, questões pontuais merecem atenção, tais como:

  • contas em bancos adequadamente “fechadas” ou em correspondência com os extratos respectivos;
  • provisões de décimo terceiro salário e de férias realizadas todo mês, tendo como base relatórios detalhados do departamento de RH;
  • amortizações, depreciações e exaustões contabilizadas com embasamento em controles do patrimônio;
  • custos, ativos, passivos, patrimônio líquido, despesas e receitas devidamente reconhecidas pelo regime contábil de competência;
  • estar em conformidade com situações organizacionais especiais, como no caso das empresas que exercem atividades imobiliárias, que devem contabilizar os custos orçados das obras. Além delas, cooperativas e instituições financeiras também necessitam de técnicas contábeis específicas.
Leia também -  Convênio 52/2017 sobre ICMS ST é suspenso também pelo CONFAZ

De que forma ela pode ser útil?

A contabilidade empresarial traz uma série de benefícios para os agentes ligados a uma organização, sejam eles gestores, sejam colaboradores e até mesmo a própria empresa. Por isso, veja a seguir como ela colabora favoravelmente para cada um deles.

Utilidade para gestores

No que tange à contabilidade gerencial (quando as informações contábeis passam a servir para as decisões da liderança da empresa), os gestores podem contar com a ajuda dos colaboradores da área e, por meio dos processos contábeis, obter maiores facilidades para os seguintes procedimentos:

  • cálculo do ponto de equilíbrio;
  • elaboração e controle do planejamento orçamentário;
  • análise de indicadores, métricas, níveis e outros instrumentos;
  • utilização de ferramentas não financeiras, como o Valor Econômico Agregado (EVA), para avaliação de negócios, ou o Valor Agregado de Mercado (MVA), empregado na geração de valor para sócios ou acionistas;
  • confecção do planejamento tributário da empresa;
  • determinação de custos padrões;
  • implementação de ferramentas como o Balanced Scorecard (BSC), visando a entender os pontos fracos e fortes da organização, bem como o ambiente em que está inserida;
  • projeção do fluxo de caixa.

É válido destacar que a contabilidade gerencial é lastreada em fatores que influenciam no patrimônio organizacional, coletando dados e informações conforme seus recursos e instrumentos contábeis. Consequentemente, ela depende de dados e informações que o próprio empreendimento gera.

Utilidade para colaboradores

Os colaboradores que trabalham com contabilidade empresarial passam a ser profissionais mais valorizados pelas grandes corporações, pois eles são peças-chave para o êxito empresarial. Afinal, são eles os responsáveis pela elaboração das demonstrações contábeis usadas pela diretoria e gerência para análise da situação da empresa.

Com efeito, seus conhecimentos permitem a obtenção de ferramentas úteis para a criação de estratégias e táticas, visando a manter ou melhorar o desempenho organizacional. O profissional contábil também pode sugerir alterações na estrutura da empresa ou do negócio central dela, bem como em processos que podem colaborar com o aumento de vendas, receitas ou diminuição de custos.

Ele pode, inclusive, propor novas formas de contabilização e indicar estratégias de tributação mais favoráveis para o empreendimento ou para produtos/serviços específicos, já que se trata de um profissional capaz de compreender corretamente as regulamentações brasileiras.

Utilidade para as empresas

Sendo útil para gestores e colaboradores, a contabilidade empresarial também é muito importante para as empresas. Por meio dela, é possível otimizar custos e melhorar processos contábeis, além de aumentar vendas e receitas, conseguir descontos e bons preços para os clientes.

Ao adotar as práticas corretas de contabilidade adaptadas ao mercado e em conformidade com as legislações vigentes, ela também permite diminuir as chances de problemas com o governo (Receita Federal, Ministério do Trabalho, órgãos fiscalizadores etc.). Adicionalmente, os sócios e acionistas poderão ter em mãos os resultados da organização especificados em relatórios contábeis, tornando a sua gestão mais transparente e confiável.

Outro aspecto importante a ser destacado, é que a contabilidade empresarial, quando estruturada e usada de forma estratégica, oferece um diferencial competitivo para a empresa. Nesse sentido, os processos e informações gerados em suas rotinas internas podem ser aproveitados na forma de dados para dar suporte à tomada de decisões, melhorando o desempenho da companhia.

Contabilidade empresarial

Em outras palavras, se você quer obter vantagem no seu segmento de mercado, a dica é investir na contabilidade empresarial. Existem dois motivos para isso: o primeiro é que boa parte das empresas ainda trabalha com a figura do gestor “faz tudo”, o que torna sua gestão contábil menos profissional e mais suscetível a erros.

Já o segundo é que, com a contabilidade empresarial, é possível contar com profissionais especializados no segmento em que atuam para oferecer uma consultoria decisiva na tomada de decisões. Para tanto, é preciso que as funções, tarefas e atividades que vão compor a contabilidade empresarial de uma organização sejam executadas e geridas por profissionais de contabilidade competentes.

Esses profissionais devem ter boa formação, tanto teórica quanto prática. Caso contrário, as vantagens obtidas podem estar aquém das reais potencialidades dessa área. Na dúvida, o melhor é investir em cursos e especializações para sua equipe de colaboradores que trabalham com processos de auditoria contábil, controladoria, questões tributárias etc.

Qual a importância do planejamento tributário bem feito?

É no dia a dia das organizações que a contabilidade empresarial se mostra relevante. Diante de um quadro de alta carga tributária incidente sobre as empresas, é fundamental que elas procurem por soluções no sentido de minimizar esse impacto. Nesse caso, um serviço contábil ganha ainda mais importância, pois é com ele que a empresa tem condições de realizar procedimentos capazes de reduzir seus custos com tributos sem confrontar a lei.

A elisão fiscal — ou planejamento tributário — é caracterizada como uma forma de evitar o pagamento de tributos quando as medidas são tomadas anteriormente ao surgimento do fato gerador. Trata-se de uma ferramenta que tem por objetivo projetar as atividades econômicas da empresa, de modo a fazer uso das possibilidades que a legislação oferece para amenizar a incidência das obrigações.

Sem dúvida, você pode evitar a incidência de tributos, reduzir o montante ou até mesmo adiar o ônus tributário da empresa de maneira legal. Basta realizar um estudo preventivo, considerando os efeitos jurídicos e econômicos benéficos à sua organização para reduzir o custo tributário.

Assim, é possível adotar medidas decorrentes da própria legislação ou resultantes de lacunas existentes nela. Exemplos disso são ações como a definição do enquadramento tributário mais adequado para as características do seu empreendimento e o desmembramento de uma única empresa em diversas unidades menores, para que cada uma delas seja enquadrada no regime específico para pequenas e médias empresas.

Leia também -  Como se manter atualizado na área de contabilidade?

Para realizar esse tipo de procedimento, é preciso experiência e o devido entendimento de como funciona a legislação.

Os riscos da sonegação

O extremo oposto da elisão fiscal é o que comumente chamamos de sonegação, ou seja, a adoção de métodos num momento posterior à ocorrência do fato gerador. A diferença em relação à elisão é que, nesse caso, os procedimentos são realizados à margem da lei, o que configura crime.

É justamente em função da alta carga tributária que muitas empresas acabam recorrendo a ações desse tipo como alternativa para manter sua taxa de lucro. Entretanto, trata-se de uma prática arriscada e desnecessária, pois como visto, com o devido entendimento das possibilidades legais e o auxílio de especialistas, é possível amenizar esse impacto de maneira segura.

Os riscos têm a ver com o aperfeiçoamento da máquina pública no combate à sonegação. Somente a Receita Federal já dispõe de recursos sofisticados para cruzar dados e identificar os infratores. Isso pode levar a penalizações capazes até mesmo de fazer uma empresa fechar as portas, além de comprometerem seriamente a vida pessoal dos responsáveis.

Assim, práticas como o envio de declarações falsas, a omissão ou alteração de documentos, a alteração de despesas, entre outras, precisam ser evitadas.

Também é importante saber o que pode ser configurado como prática de sonegação e o que não pode. Em muitos casos, os gestores acabam até mesmo caindo na malha fina da Receita não por má índole, mas por total falta de entendimento sobre como funcionam os procedimentos obrigatórios que envolvem sua empresa.

Para evitar o problema, contar com um serviço especializado de contabilidade empresarial é a solução mais adequada.

Quando a empresa precisa procurar por serviços contábeis?

O ideal é que a contabilidade empresarial faça parte da rotina da empresa. Assim, ela garante adequação às exigências legais, além de melhores condições para ocupar espaço no mercado.

Entretanto, existem momentos em que se torna inevitável procurar por soluções contábeis para a empresa. Isso diz respeito tanto à montagem do empreendimento quanto às atividades de rotina.

Na abertura da empresa

Logo no início do empreendimento, é preciso realizar o planejamento financeiro, lidar com questões como o capital social e a constituição societária e definir o regime tributário mais adequado para o cálculo dos tributos. Neste ponto é necessária maior atenção. Se a sua empresa não optar pelo regime mais compatível com suas características, ela possivelmente terá que arcar com uma carga tributária mais elevada.

Inclusive, a definição do regime ideal é algo que exige um amplo conhecimento de cada modalidade disponível e também das características do negócio, como o faturamento estimado e a atividade exercida. A empresa pode optar pelo Simples Nacional, o Lucro Real, o Lucro Presumido e uma modalidade especial, o Lucro Arbitrado.

Como são modalidades que diferem entre si, o ideal é que seja feito um estudo criterioso que considere a incidência de tributos sobre a empresa dentro de cada um desses regimes. Somente assim será possível avaliar em qual deles a carga tributária será menor para que então seja feita a escolha correta.

Entendeu como a contabilidade empresarial faz toda a diferença já no começo de uma trajetória de sucesso no mercado? É ela quem garante uma menor incidência de erros, evitando gastos maiores, além de atrasos e multas, mesmo quando o gestor ainda não possui experiência. Tendo alguém ou uma equipe para lidar com esses temas, o gestor pode assumir outras responsabilidades na abertura da empresa, correndo menor risco.

Durante o funcionamento da empresa

Mesmo após a realização de um planejamento tributário adequado para a organização, a empresa ainda precisará lidar com as inúmeras obrigações que fazem parte do seu dia a dia. E acredite: não são poucas.

Somente a legislação tributária brasileira, reunida num único livro, chega a pesar mais de seis toneladas. Nenhum gestor que não tenha ao menos concluído uma graduação na área contábil teria condições de acompanhar tanta informação a ponto de impedir que os cofres de sua organização sejam comprometidos em função de tantas exigências.

É por isso que a presença de um especialista se torna inevitável. Quando ele atua numa companhia, encarrega-se de realizar balanços mensais, lidar com a tributação imposta, alterar o sistema societário caso seja necessário, controlar o orçamento, bem como os fluxos de caixa. Uma vez que cada uma dessas ações exige tempo e dedicação por parte do profissional, isso pode representar um problema ainda maior quando é o próprio gestor quem se encarrega de lidar com elas.

Principais motivos

Tenha em mente ainda que um dos principais motivos que levam empresas à falência é justamente a realização inadequada de procedimentos contábeis. Isso acontece em situações em que a responsabilidade para lidar com questões como fluxo de caixa e gestão de tributos recai sobre quem não tem a devida experiência com esse tipo de trabalho.

Por isso, não deixe de atribuir essa função tão relevante para o sucesso do seu empreendimento a quem realmente tem condições de lidar com ela. Acima de tudo, tendo em vista que todas essas atividades precisam ser feitas de forma criteriosa, toma muito tempo.

Caso considere mais viável cuidar da contabilidade sozinho, a dica é procurar um contador pelo menos na hora de declarar os impostos, porque essa é uma tarefa muito burocrática, em que até mesmo os pequenos erros podem ter sérias consequências.

Agora que você sabe mais sobre contabilidade empresarial, siga a BLB Brasil Escola de Negócios no Facebook e no Linkedin e fique por dentro de outros assuntos inovadores e importantes para o seu desenvolvimento profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *