Contabilidade estratégica: como tornar uma empresa mais competitiva?

Contabilidade estratégica: como tornar uma empresa mais competitiva?

17 minutos de leitura

Ao trabalhar com medidas de custo, desempenho e risco, é possível identificar os desafios estratégicos dentro das empresas e, então, projetar o curso apropriado de estruturas de ação e de incentivo para responder a eles. Essa compreensão dos números e de seu papel organizacional facilita a implementação da contabilidade estratégica nos negócios.

Mesmo as menores empresas possuem mais dados contábeis do que podem imaginar, e quase todas as transações realizadas são gravadas em seus registros financeiros. Essas informações prévias podem ser muito poderosas nas mãos certas, pois compreender os dados contábeis de uma empresa pode ajudar na tomada de decisões para tornar um negócio mais competitivo.

É nesse sentido que a contabilidade estratégica se mostra fundamental para tornar sua empresa líder de mercado. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Importância da contabilidade estratégica para os negócios

Antes de entendermos a importância da contabilidade estratégica para os negócios, precisamos entender o conceito e qual a relevância da estratégia para as organizações. O termo estratégia tem origem no grego “strategos”, que significa “a arte do general”, no sentido de concepções, planos e ações para vencer o inimigo.

Assim, a competitividade existente nos mercados e o fato de que as empresas devem ter por meta conquistar e fidelizar clientes – sob pena de sucumbir à conquista dos concorrentes – estabeleceram o uso do termo na atividade empresarial.

Portanto, a determinação das metas e objetivos de longo prazo de uma empresa, a adoção de um plano de ações e a alocação de recursos necessários para a execução dessas metas fazem parte da estratégia para se manter competitiva no mercado.

A contabilidade estratégica

Assim sendo, a contabilidade é fundamental no desenvolvimento de uma atividade empresarial, uma vez que coleta, registra e analisa informações patrimoniais e financeiras. Essas informações fornecem uma visão detalhada das operações e servem para a companhia planejar o crescimento do negócio.

Esse crescimento necessita ser desenvolvido e monitorado com novas estratégias. É nesse contexto que a contabilidade atua estrategicamente como um instrumento que possibilita o aprimoramento da gestão, e é a partir daí que surge a contabilidade estratégica.

Em outras palavras, a característica estratégica atribuída à contabilidade é uma evolução da contabilidade gerencial para atender ao novo ambiente empresarial. Ou seja, a formulação e o desenvolvimento das estratégias dependem de informações que podem ser fornecidas pela contabilidade gerencial, tais como:

  • estrutura de custos;
  • estratégias de preços e produtos;
  • volumes e participação no mercado dos concorrentes, entre outras.

A contabilidade assume, então, uma postura estratégica por meio de relatórios que fornecem informações dos ambientes interno e externo para:

  • controlar as atividades correntes da corporação;
  • planejar estratégias táticas e operações futuras;
  • adequar o uso dos recursos;
  • medir e avaliar o desempenho;
  • otimizar o processo de tomada de decisões;
  • melhorar a comunicação interna e externa.

Além disso, a contabilidade participa diretamente do processo estratégico, no qual se constitui a gestão, para:

  • criar estratégias;
  • comunicar essas estratégias a toda a companhia;
  • desenvolver e pôr em prática as ações para implementar as estratégias;
  • desenvolver controles para o monitoramento das etapas de implementação da estratégia e, posteriormente, o sucesso no alcance das metas.

A contabilidade – sobretudo no aspecto gerencial –, enquanto ferramenta de informações, encontra-se em todas as fases de desenvolvimento da estratégia que contribui para a conquista de vantagem competitiva sustentável.

A contabilidade estratégica como diferencial dentro de um negócio

É fato que, hoje em dia, se há um setor que pode contribuir com informações úteis para um melhor desempenho da empresa, esse setor é o de contabilidade. Por isso, e devido às exigências em termos de padronização das normas contábeis é que se pode dizer que o departamento se encontra diante de novos desafios.

É preciso modernizar os processos para que a organização de dados seja um diferencial na tomada de decisão dos gestores. Se antes o trabalho era feito de maneira manual e a gestão estratégica não era tão valorizada, hoje, entender a contabilidade somente como uma ferramenta de apuração de tributos significa mais do que correr riscos em relação a impostos, taxas e tarifas.

Significa, também, abrir mão de um recurso capaz de dar à empresa condições para atingir objetivos com maior precisão. A importância de saber disso é ter condições para se diferenciar no mercado, algo que todo empreendedor busca, mas que nem todos sabem como alcançar.

Em tempos modernos, a contabilidade representa muito mais do que aquilo que diz respeito ao entendimento das leis, ao cumprimento burocrático das obrigações e outras atividades. E a palavra que melhor evidencia isso é “informação”. O ideal é que a informação contábil seja capaz de atender aos diferentes objetivos da organização, sendo elemento fundamental dentro de sua estratégia de mercado.

Para tanto, o segredo para as empresas é entender a contabilidade como uma aliada na tomada de decisão dos gestores, adotando recursos sofisticados para a realização da análise de dados e, evidentemente, contando com especialistas capazes não somente de lidar com as exigências comuns da atividade, mas também de modernizar seus procedimentos.

Dessa forma, é necessário considerar a contabilidade desde a fase de planejamento das companhias, passando pela execução e pelo controle da gestão. Esse é um caminho que permite às diferentes organizações ampliarem suas atividades, fidelizar clientes e se manter competitivas no mercado, sem que isso represente um desvio daquilo que entendem como sendo a sua filosofia de gestão.

Benefícios de uma contabilidade estratégica

Em resumo, é preciso que tanto a contabilidade quanto o planejamento estratégico ganhem protagonismo dentro das empresas, para darem a elas o diferencial competitivo que as possibilite ter uma visão mais ampla do negócio. Os benefícios são muitos. Entre eles, podemos citar a possibilidade de fazer análises que vão além do que apresentam os dados financeiros, com informações precisas sobre o negócio e o seu funcionamento.

Isso permite à gestão ter parâmetros para desenvolver atividades de maneira mais racional, por estarem associadas aos objetivos do empreendimento e obter informações para analisar os resultados alcançados de maneira mais eficiente, o que permite evidenciar, eventualmente, uma necessidade de mudança de rumos.

Saber onde se quer chegar e ter condições para definir a trajetória a ser percorrida é fundamental para que um gestor tenha como utilizar as ferramentas disponíveis e, assim, atingir seus objetivos. Além disso, uma contabilidade estratégica permite ao gestor trabalhar com benchmark, ou seja, ter uma ferramenta de gestão útil para fazer comparações entre a eficiência de sua organização com a de outras companhias.

Identificando o que as concorrentes estão fazendo, o gestor pode analisar os departamentos de sua empresa e, assim, compreender o que tem feito com que seus resultados estejam abaixo do esperado, caso isso ocorra. É uma forma de investir em inteligência competitiva e, do ponto de vista estratégico, ocupar uma posição de destaque no ramo em que a empresa atua.

O benchmark depende de uma análise de dados precisa para se mostrar eficiente. Consequentemente, permite benefícios, como a identificação do posicionamento ideal da companhia no mercado, o entendimento a respeito das práticas que têm apresentado os melhores resultados, a criação de metas mais interessantes, o desenvolvimento de uma cultura organizacional centralizada na figura do cliente e o aumento da produtividade – o que permite ampliar as margens de lucro.

De uma maneira geral, a contabilidade estratégica faz com que os procedimentos sejam racionalizados, dando aos processos uma organização mais criteriosa. Isso faz com que o foco da equipe contábil deixe de se concentrar exclusivamente na burocracia para que os profissionais passem a ter uma participação decisiva na gestão empresarial.

Aplicações da contabilidade estratégica

Quando a contabilidade é utilizada somente para fins fiscais e financeiros, a empresa está perdendo a oportunidade de fortalecer o seu processo decisório. Ela deve ser estrategicamente integrada a outros processos corporativos e ligada ao planejamento e orçamento empresarial. Veja, a seguir, as principais aplicações da contabilidade estratégica.

Estratégia de custos

A redução de custos, aliada à eficiência produtiva, ajuda a otimizar ao máximo os recursos disponíveis, o que é essencial para que uma empresa consiga se manter competitiva. A estratégia de custos tem como finalidade diagnosticar de maneira confiável todas as despesas e classificá-las, estabelecendo metas que possam melhorar a gestão sustentável dos recursos, orçamento de custos etc.

Ela permite um maior controle sobre o que está sendo utilizado para a geração de receitas e para diminuir o desperdício. Assim, é possível estabelecer a margem de contribuição a ser gerada pela companhia e a realização de projeções de custos, levando em conta vários fatores, como impostos, câmbio e imprevistos.

Nesse sentido, é necessário fazer uso das informações disponibilizadas nos relatórios da contabilidade de custos, para que as metas traçadas sejam fundamentadas em dados exatos.

Estratégia de preço

A precificação de vendas já não é mais representada apenas pelo custo de aquisição ou produção no qual se acrescenta um percentual de lucro desejado. Atualmente, existem muitas variáveis que interferem na formação dos preços dos produtos, quase todas interdependentes, mas que se influenciam mutuamente.

Dessa forma, a correta estratégia de preço não está sob a total autonomia dos gestores e empreendedores. Diante do atual cenário, são as variações do mercado que ditam – ou, pelo menos, influenciam – o preço, restando às empresas adequarem suas estruturas de custos às exigências externas.

Além disso, as companhias enfrentam uma concorrência global de organizações que detêm melhores recursos tecnológicos, produção descentralizada, isenções fiscais e mesmo práticas como dumping social.

Outro fator importante é que o consumidor passa a ser influenciado em suas escolhas por um conjunto de forças, como suas preferências, preços menores, facilidades, disponibilidade de produtos substitutos, publicidade e oscilações no seu poder aquisitivo.

Práticas corretas de preços criam mais valor para a instituição e para seus clientes. Assim, as informações contábeis precisam compor o processo de decisão, para tornar possível trabalhar preços de várias maneiras, buscando um melhor resultado econômico.

Por menor que seja, qualquer variação no preço praticado pode ter um impacto significativo – positivo ou negativo – na lucratividade da empresa. Definir a estratégia correta para seu posicionamento de preços é fundamental para um negócio bem-sucedido, para a sobrevivência da empresa e da sua participação de mercado – seu market share.

Estratégia de pessoal

A gestão estratégica de pessoas é um fator imprescindível para que as organizações consigam atingir as suas metas. Por isso, é fundamental envolver todas as pessoas, permitindo a colaboração e a participação eficaz nas estratégias.

Ela também permite realizar projeções de contratação, custos e encargos, redução de riscos trabalhistas, entre outros. Entre os principais benefícios de uma estratégia de pessoal, estão:

  • reter talentos: por meio de incentivos, recompensas, bonificações, aumento salarial etc.;
  • planos de carreira e promoções: ajudando a elaborar planos individuais de capacitação por competência;
  • definição de vesting;
  • administração horizontal: aproximação de lideranças e liderados, priorizando acesso à informação e reduzindo os níveis organizacionais.

Estratégia financeira

A estratégia financeira auxilia na gestão de cobranças, prazos de recebimento e pagamentos, no cálculo e decisão por empréstimos e financiamentos, na definição de sistemas que facilitem o tratamento das informações geradas, na determinação de melhores práticas de gestão, entre tantos outros aspectos financeiros.

Ela é essencial, pois quando as finanças não vão bem, o fluxo de caixa é comprometido e acaba afetando diretamente nos resultados da companhia, prejudicando sua atuação competitiva.

Estratégia de investimento

Realizar investimentos é um fator indispensável para toda empresa em crescimento. Por isso, é fundamental um planejamento estratégico nesse quesito, pois, do contrário, a corporação pode vir a realizar captações indevidas de recursos.

Sem uma análise prévia das finanças, a organização corre sérios riscos de não conseguir honrar com os compromissos assumidos, resultando na inadimplência – o que pode levar até à falência.

A estratégia de investimento utiliza fatores financeiros, contábeis e econômicos do negócio. Com base na real situação econômico-financeira da empresa, as tomadas de decisões em relação a financiamentos ou outras formas de investimento são feitas de maneira segura, por meio de informações confiáveis e direcionadas para os objetivos da organização.

O papel do contador na gestão estratégica

O profissional de contabilidade pode desempenhar muitos papéis em uma empresa, como supervisionar a preparação de todos os documentos financeiros, auxiliar nas estratégias criadas pela administração e tomar decisões de investimentos – além de atuar como um consultor estratégico do negócio.

Ele também desempenha um papel fundamental no planejamento estratégico, devido à sua perspectiva única sobre o impacto financeiro dos planos futuros. Além de ser responsável pela interpretação e comunicação interna dos fatos contábeis, assume a responsabilidade de comunicar os dados financeiros da empresa – de forma clara e objetiva – aos acionistas e aos meios de comunicação.

É um profissional que deve ter, em primeira mão, a visão das transações financeiras de toda a companhia, dívidas e ganhos, classificações e objetivos estratégicos. O contador deve interagir com a maioria dos chefes de departamento e outros funcionários-chave para retransmitir os objetivos da empresa.

O contador estratégico

A área contábil tem experimentado algumas mudanças rápidas e muito significativas. Essa nova condição requer profissionais estrategistas, com visão holística de negócios. Já não basta apenas capacidade técnica, o novo perfil exige características como:

  • iniciativa;
  • agilidade;
  • flexibilidade;
  • liderança;
  • multifuncionalidade;
  • autodesenvolvimento;
  • resiliência;
  • inteligência emocional; e
  • conhecimento de línguas.

O contador estratégico precisa fornecer aconselhamento e orientação sobre as implicações por trás dos números e estratégias para aumentar o valor e o crescimento. Precisa ser capaz de olhar para o futuro e prever as probabilidades de consolidação no mercado com base na trajetória da empresa.

Habilidades de um contador estratégico

Um contador estratégico é alguém que possui as seguintes competências:

  • reflexão prospectiva: compreensão de que o propósito de olhar para o passado e o presente é de prever o futuro e se preparar para ele estrategicamente;
  • estar conectado: deve ser capaz de chegar a numerosos contatos entre uma ampla gama de serviços, dentro e fora da empresa, para atender aos clientes e transmitir referências;
  • dedicação: colocar o cliente em primeiro lugar para ganhar a confiança em parcerias com empresas, guiando-o por meio de um campo minado de possíveis ameaças financeiras para o período de vida do negócio;
  • responsividade: tempos de resposta rápidos e comunicações em tempo real entre os clientes garantem que eles sejam bem assistidos;
  • articulação: capacidade de fornecer explicações e recomendações sem preencher conversas com jargão de contabilidade que ninguém entende.

Formas de se ter uma atuação estratégica

O contador que pretende ter uma atuação estratégica dentro da empresa precisa ir além das ações burocráticas, oferecendo suporte também no que diz respeito a questões que envolvem as principais tomadas de decisões.

Contribuindo de forma a dar à gestão possibilidades para fazer um controle financeiro de qualidade, além de dar a devida orientação para que haja a redução de gastos com impostos (com a definição do regime tributário mais adequado, por exemplo) e diminuindo também os riscos de autuações e intimações fiscais, seu papel estratégico ganha relevância.

Além disso, é preciso garantir que a documentação seja mantida de maneira organizada, evitando que os documentos fiscais sejam um entrave para os processos mais importantes da empresa. Independentemente de contar com arquivos físicos ou digitais, é necessário criar um mecanismo que torne a localização facilitada.

Documentos como notas fiscais eletrônicas e comprovantes são fundamentais para que a gestão seja eficiente e, por isso, organizá-los adequadamente é uma maneira de diminuir os riscos diante de fiscalizações ou ações judiciais.

Da mesma forma, dar segurança à empresa em relação a atrasos, juros e multas desnecessárias também faz com que a contabilidade tenha um papel importante sob o ponto de vista estratégico, pois, prestando o auxílio que a empresa precisa para lidar com o controle de pagamentos, o setor de contabilidade facilita a ação da gestão.

É fundamental, também, ter um plano de riscos e ações. Com ele, a contabilidade consegue informar valores que precisam ser reservados para que a empresa não sofra diante de imprevistos. Problemas podem surgir frente à necessidade de fazer a manutenção de equipamentos, reformas e ajustes, entre outros. Sendo assim, atuando na organização do balanço financeiro, a contabilidade pode evitar dores de cabeça.

O plano de riscos e ações dá à empresa informações a respeito do quanto ela pode investir sem que isso represente um problema para a continuidade dos negócios, oferecendo também uma noção mais próxima daquilo que poderá ser o seu crescimento nos períodos futuros.

A Tecnologia da Informação na contabilidade estratégica

A rápida evolução da tecnologia aumentou a velocidade com a qual os negócios são conduzidos. As organizações precisam cada vez mais de softwares contábeis otimizados para a aplicação de técnicas inteligentes no processo de tomada de decisões.

As novas tecnologias não permitem somente o processamento de dados, mas também sistemas que processam informações e compartilham conhecimentos. O profissional contábil deve fornecer dados muito rapidamente e se adaptar às mudanças que ocorrem no mercado e às alterações das legislações. Por isso, o uso dessas tecnologias é de grande importância na contabilidade estratégica.

Outro critério muito importante que a tecnologia trouxe para a contabilidade é a proteção dos dados contábeis por meio da certificação digital, que usa algoritmos criptográficos e outros recursos de segurança para garantir a confidencialidade, autenticidade e sigilo das informações.

Essa tecnologia pode dar uma vantagem às empresas, impedindo que outros contadores tenham acesso não autorizado aos seus dados – dados que os ajudariam a prever as tendências das empresas.

Cultura empresarial e contabilidade estratégica

O elemento cultural na gestão da contabilidade estratégica estabelece um conjunto compartilhado de crenças dentro da organização.

Os principais elementos estratégicos das organizações são baseados em qualidade, custo e tempo. Uma empresa usa esses fatores para se diferenciar dos concorrentes e avalia a importância relativa deles, apoiando-se na sua base de clientes e nas preferências ou exigências feitas pelo segmento no qual está inserida.

Em alguns casos, as empresas exigirão produtos sujeitos a emissões primárias de tempo e custo. Já outros clientes exigem qualidade e são indiferentes aos fatores de custo. A consciência das condições de concorrência é a principal diferença entre contabilidade de gestão estratégica e sistemas de contabilidade tradicionais.

A gestão estratégica da contabilidade incide, portanto, sobre o ambiente da empresa. E esse ambiente concentra-se e gira em torno de seu relacionamento com fornecedores, clientes e com os concorrentes atuais e potenciais. Por isso, um bom plano de contabilidade estratégica pode indicar a necessidade de reduzir os preços, assim como prever tendências, tornando a empresa mais competitiva.

Agora que você sabe como tornar uma empresa mais competitiva por meio da contabilidade estratégica, não deixe de assinar a nossa newsletter para ficar por dentro de todos os nossos conteúdos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *