O que fazer para qualificar a contratação de funcionários?

O que fazer para qualificar a contratação de funcionários?

9 minutos de leitura

Um processo de seleção ainda é encarado como um grande desafio para os empresários. Saber encontrar a pessoa ideal para trabalhar na sua organização não é fácil. Isso requer planejamento e tempo para que a seleção tenha o resultado esperado: a contratação de funcionários qualificados.

Apesar de a crise financeira acarretar grande disponibilidade de profissionais no mercado de trabalho, isso não quer dizer que existem muitas pessoas qualificadas disponíveis, principalmente na área financeira.

Os ramos contábil, financeiro e de controladoria requerem mão de obra qualificada. Contudo, isso não é o suficiente, tendo em vista que é preciso avaliar ainda se aquele profissional se encaixa no perfil da empresa.

Este post mostrará dicas e as melhores técnicas a serem adotadas na contratação de funcionários – o grande desafio hoje para as organizações.

1. Definição do perfil

Para ter assertividade na contratação de um funcionário, é necessário ter em mente o que a empresa procura. Para isso, é preciso definir um perfil de candidato.

Para saber definir um perfil de candidato, é necessário traçar um perfil geral para trabalhar na empresa. Quais serão as atribuições específicas da vaga que está disponível? Quais competências e habilidades se esperam do candidato a ser contratado?

Hoje, uma dificuldade encontrada na seleção de profissionais na área financeira é encontrar um candidato proficiente em outro idioma, como o inglês.

Assim, é preciso ser avaliada a real necessidade do domínio de uma segunda língua. Isso porque há empresas que realmente precisam de um funcionário bilíngue, outras não. É preciso definir, portanto, as necessidades e os recursos para uma contratação mais assertiva.

Outro exemplo são os requisitos para a vaga disponível. Como no caso de um profissional com especialização. É importante determinar o tipo de especialização que o candidato precisa ter. Isso será um requisito ou um diferencial para a vaga? Quais instituições de ensino são exigidas ou recomendadas? Entre outros questionamentos.

Esses detalhes são uma maneira de realizar um filtro na busca do funcionário ideal para a empresa, e o momento certo para fazer isso é na triagem de currículos.

2. Anúncio da vaga em meios confiáveis

É de extrema importância definir mídias confiáveis nas quais as vagas serão anunciadas, pois isso influencia a busca por um profissional qualificado.

Por isso, procure sites confiáveis para a divulgação – muitos são gratuitos – e ambientes virtuais que pessoas com o perfil da empresa normalmente acessam. Há várias opções como grupos de finanças, páginas de contabilidade ou plataformas online em que é possível encontrar candidatos que possuem o perfil do setor financeiro.

3. Triagem de Currículos

Essa etapa é essencial para trazer para a entrevista os candidatos com as competências procuradas pela empresa.

A triagem dos currículos é muito importante, pois, para a realização de um processo seletivo, demandam-se tempo e recursos. Não faz sentido trazer para a entrevista candidatos que não possuem as competências mínimas estabelecidas para assumir a vaga.

No caso do profissional da área de contabilidade e finanças, por exemplo, pode-se fazer a seguinte definição para um cargo de Analista Contábil Júnior:

  • Formação em Ciências Contábeis, Matemática, Gestão Financeira (recém-formado);
  • Inglês Intermediário;
  • Disponibilidade para início imediato.

Obviamente, outras competências poderão ser definidas pelo recrutador.

Vale ressaltar que, no momento da triagem de currículos, não faz sentido chamar para a entrevista uma pessoa formada em Psicologia para assumir um cargo que lidará com custos. Ou exigir para um cargo júnior uma especialização, sendo que, para aquele cargo, normalmente se candidatarão recém-formados.

Leia também -  Estados aumentam as alíquotas dos impostos sobre doação e heranças

É indispensável garantir que o perfil da vaga se adeque ao perfil do candidato. Isso fará com que o rendimento esperado para aquela função seja alcançado e, da mesma forma, a vaga atenda às expectativas do candidato.

Tudo isso é fundamental, já que o sucesso na contratação e no desempenho das tarefas do novo colaborador depende tanto do recrutador/empresário como da satisfação do candidato na realização daquela função.

O momento da triagem é muito importante. Isso porque nela será realizada uma filtragem de todas as candidaturas. Mesmo no passo inicial espera-se trazer para a entrevista um candidato que, ao menos, atenda aos requisitos básicos exigidos para a vaga.

4. Processo seletivo para a contratação de funcionários

Após a triagem de currículos, finalmente chega o momento de realizar o contato presencial com os candidatos.

Para essa etapa, é preciso que o recrutador/empresário planeje e elabore um cronograma para as atividades que serão desenvolvidas no momento da seleção.

É preciso observar atentamente cada candidato para conseguir identificar detalhes do seu perfil. Sabe-se que é difícil, em um único contato, ter a certeza de que aquele profissional é o que a empresa procura. Assim, é recomendado que o processo seletivo seja dividido em, pelo menos, dois dias.

A depender do tamanho da empresa, normalmente o primeiro dia é realizado com a equipe de RH. Essa é a área que analisará o comportamento dos candidatos por meio de diversas atividades, avaliando quais deles têm o perfil procurado.

No segundo dia, é imprescindível que o recrutamento seja acompanhado pelo gestor da área em que o candidato selecionado trabalhará. Isso deve ser feito independentemente se a empresa possui ou não uma equipe de recrutamento disponível para realizar esse processo.

Afinal, para ter certeza de que aquela mão de obra será qualificada, é preciso que o gestor converse e verifique se o candidato possui as competências e habilidades para o cargo.

Pelo fato de as áreas financeira e contábil possuírem procedimentos bem específicos, é preciso verificar no momento da seleção se o candidato possui os conhecimentos mínimos necessários para assumir a vaga ofertada. Uma forma de avaliar isso é por meio de testes.

Conheça o candidato e apresente as propostas da empresa

Primeiramente, é importante que você apresente algumas informações sobre a empresa. Dentre elas: qual é o ramo de atuação e o que se espera dos profissionais que atuam nela. Além disso não se pode esquecer de abordar como são os fluxos dos processos de trabalho e os benefícios oferecidos.

É essencial que isso seja feito para que o candidato já saiba o que esperar daquela função, como é o ritmo da empresa e se os benefícios oferecidos atendem às suas expectativas.

Deixar claro as expectativas da empresa e o que ela pode oferecer é indispensável para que as pessoas que não se identifiquem com o perfil e com a proposta da empresa não percam seu tempo nem o do recrutador.

Afinal, um processo seletivo demanda tempo e gera custos. Uma escolha errada gera impactos lá na frente, como a desistência do candidato escolhido após a sua contratação.

Após deixar clara a proposta da empresa, abra espaço para uma apresentação ou uma conversa com os candidatos. Por meio dessa conversa, é possível ter um conhecimento um pouco mais aprofundado sobre a pessoa.

Superada essa fase, é interessante, principalmente na área financeira/contábil, realizar um teste prático. É por meio dele que será possível saber se o candidato possui os conhecimentos mínimos para assumir a função.

Avalie a aptidão para trabalho em equipe

Apesar de a área financeira/contábil lidar com números, demonstrativos e relatórios, a habilidade de saber trabalhar em equipe é fundamental. Isso porque normalmente todo o processo de uma empresa é interligado. Assim, é preciso que aquela pessoa saiba se relacionar.

Leia também -  Entenda tudo sobre Transfer Price e seus métodos de cálculo

Desse modo, recomenda-se aplicar um teste de interação entre os candidatos e avaliar como eles se saem. Saber lidar com situações que envolvam mais pessoas é fundamental.

Imagine se um dia a empresa for apresentar uma proposta para um cliente. Como seria o desempenho do funcionário em uma reunião de negócios? Ele saberia se comunicar? É um erro para os profissionais da área de exatas imaginar que somente o conhecimento é importante. É preciso ter a habilidade de se socializar e escutar propostas dos colegas.

Simule situações práticas da empresa

Aplicar uma situação prática que é recorrente na empresa ou até mesmo uma tarefa que foi considerada um desafio na organização é muito interessante para avaliar o comportamento e as ações dos candidatos.

Saber se o candidato agirá da forma como a empresa espera para solucionar aquela situação é uma ótima estratégia para a contratação de funcionários.

Com isso, será possível perceber se a forma que ele lidará com a situação prática está dentro dos procedimentos esperados pela empresa. Essa é uma ótima forma de avaliar o perfil dos candidatos.

Promova uma conversa com o gestor

Para finalizar o processo de contratação de funcionários, é imprescindível que o candidato converse com o gestor, de preferência o gerente da área em que o profissional trabalhará. O gestor precisa conhecer o futuro funcionário.

Evidentemente, após ter realizado o filtro inicial na seleção, espera-se ter encontrado os candidatos que se encaixam no perfil geral da empresa. Mas, para trabalhar naquela área específica, somente o gestor que vivencia o dia a dia no setor poderá dizer se realmente aquele candidato irá adequar-se ao perfil da vaga ou não.

5. Avaliação durante o período de experiência

O processo para ter um profissional qualificado para assumir a função disponível na empresa não acaba no processo seletivo. Por isso existe o período de experiência.

A transparência é essencial nesse momento. É preciso que fique claro qual é o ritmo da empresa, quais são os seus processos, como lidar com determinadas situações. Assim, será possível observar se aquele ambiente de trabalho está atendendo às expectativas do funcionário. Bem como se as ações do novo funcionário estão atendendo às expectativas do gestor.

É preciso analisar se o funcionário está se adaptando e se o treinamento oferecido – e precisa ser oferecido – é suficiente para ajudá-lo a desenvolver as habilidades necessárias para cumprir suas obrigações.

O período de experiência serve exatamente para a adaptação entre o funcionário e a empresa. No caso de o candidato selecionado não atender às expectativas da empresa, essa situação será percebida a tempo, pois os custos com um desligamento são altos após a contratação definitiva.

Identificar um profissional qualificado e que esteja dentro do perfil da empresa é um desafio. Principalmente na área financeira, que requer um cuidado na seleção desses profissionais.

Trabalhar com a vida financeira de uma organização não é uma tarefa simples. Contudo, ao realizar um processo de seleção, definir um filtro e manter uma comunicação aberta são grandes passos para superar esse desafio.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre o processo de contratação de funcionários, fique por dentro das novidades e receba mais informações. Siga-nos nas redes sociais – LinkedIn e Facebook – e veja o que temos de novidade para você se manter atualizado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *