Vou investir na minha empresa. Qual recurso utilizar?

Vou investir na minha empresa. Qual recurso utilizar?

6 minutos de leitura

Minha empresa é saudável e está muito bem colocada no mercado. Acredito que o próximo passo seja sua expansão. Para isso, preciso de investimento. Mas qual o recurso devo usar, financiamento ou empréstimo?

O ideal para qualquer empresa é que ela se utilize de seus próprios recursos para crescer. Outra opção é buscar os financiamentos e empréstimos em instituições bancárias. Embora sejam vistos como soluções não muito vantajosas, esses recursos podem ser necessários, dependendo da ocasião.

Os empréstimos e financiamentos são conhecidos como ferramentas para sair de uma situação financeira ruim ou resolver alguma questão pontual, mas não necessariamente implicam em problemas econômicos. Essas transações são bastante comuns nas empresas, mas é importante que sejam realizadas com cautela. A solicitação com frequência desse tipo de ajuda pode demonstrar uma desorganização financeira grave.

Como toda transação financeira, têm suas vantagens e desvantagens, bem como seus riscos e seguranças. Neste artigo você vai entender as diferenças entre as duas soluções e em quais momentos elas se mostram necessárias. Você vai ver também outra opção mais segura para investir na sua empresa sem precisar de auxílio financeiro externo. Assim, você terá condições de avaliar qual o recurso mais apropriado para fazer sua empresa crescer.

Planilha gratuita para cálculo do EBITDA

Sobre o Empréstimo

O empréstimo é uma operação de crédito concedida por uma instituição financeira em que o solicitante fica livre para utilizar o valor requerido. O banco não exige que ele informe a destinação do dinheiro, sendo apenas necessária sua devolução de acordo com prazos e juros estipulados.

Os empréstimos como recurso de aquisição de dinheiro são bastante utilizados em empresas, por conta da baixa burocracia e maior agilidade na concretização da ação em comparação ao financiamento. Outra vantagem é quando a instituição não exige garantias, situação muito comum nessa modalidade.

Ao solicitar o empréstimo, o banco realiza uma análise de crédito da empresa para depois definir a quantia máxima que será disponibilizada e se será necessário o oferecimento de garantia.

Quando não há garantia, o único mecanismo que traz segurança a essa operação é o contrato estabelecido entre o cliente solicitante e o banco.

Mas essa facilidade para adquirir esse modelo de operação de crédito tem seu preço. Os juros cobrados são geralmente altos. É uma forma de a instituição financeira garantir que não terá prejuízo e de assegurar que receberá o valor emprestado.

Curso EAD Formação em Finanças Corporativas

Sobre os Financiamentos

Diferentemente dos empréstimos, para solicitar um financiamento, o requerente precisa informar ao banco como o montante será utilizado. Portanto, esse formato é utilizado com mais frequência para a obtenção de algo específico, como um equipamento, máquina ou imóvel, por exemplo.

O processo envolve muito mais burocracia, porque para liberar o financiamento o banco solicitará que sejam disponibilizados orçamentos e identificação da empresa que está vendendo o objeto do financiamento. Documentos como Demonstração do Resultado do Exercício – DRE  e Balanço Patrimonial também são exigidos. Depois de todas essas solicitações serem apresentadas, o pedido passará por análise para conceder ou não o benefício do crédito.

Caso o financiamento não seja pago conforme prazo estipulado, a instituição bancária poderá tomar o bem adquirido.

Outra diferença em relação ao empréstimo é que no financiamento o montante solicitado é entregue diretamente à empresa que está vendendo o bem financiado e não ao solicitante do recurso.

Por conta de toda essa burocracia e devido às garantias impostas nessa operação as taxas de juros tendem a ser mais baixas do que no empréstimo.

Qual opção é a mais indicada para minha empresa?

Escolher entre o empréstimo e o financiamento vai depender da necessidade da sua empresa. Em determinadas situações o empréstimo se faz mais necessário e em outras ocasiões a utilização do financiamento é mais assertiva.

Se sua empresa precisa levantar determinado valor para estabilizar o fluxo de caixa, ajustar o capital de giro ou pagar um fornecedor, por exemplo, o empréstimo empresarial é mais indicado. Por ser uma ação menos burocrática e de fácil acesso, o empréstimo cumpre o papel de resolver esse tipo de questão.

Em outra ocasião, quando há a necessidade de buscar recursos para o crescimento do negócio ou até mesmo para renovar o maquinário, a opção mais correta é o financiamento. Como a aquisição do financiamento envolve muito mais detalhes e vários trâmites, podemos afirmar que ela é mais indicada para situações a longo prazo e relacionada ao planejamento do negócio.

Planilha gratuita para análise das Demonstrações Financeiras

O Autofinanciamento como alternativa

Devido às altas taxas de juros dos empréstimos e à burocracia dos financiamentos, a aquisição desses formatos de recursos financeiros deve ser considerada quando não há outras opções.

Uma alternativa mais segura de obter recursos e não se endividar é o autofinanciamento. Esse modelo consiste em adotar medidas internas e mais saudáveis para a aquisição de recursos financeiros. Ou seja, é uma maneira de financiar o próprio negócio sem o auxílio de terceiros.

O autofinanciamento pode ser realizado por meio do aumento de prazos de pagamento com os fornecedores e negociações para encurtar os prazos de recebimentos com os clientes.

Outra maneira de realizar o autofinanciamento é reinvestindo o lucro da empresa no próprio negócio. Nesse caso, o lucro adquirido em determinado período, que iria para o proprietário ou aos sócios da empresa, será investido no próprio negócio.

Curso EAD Contabilidade e Finanças para não contadores

Cuidados que devo ter com a aquisição do Empréstimo ou do Financiamento

Nem sempre é possível fazer um autofinanciamento. Utilizar os próprios recursos, dependendo da situação em que se encontra sua empresa, se torna uma ação inviável ou impossível. Portanto, a utilização de empréstimos ou financiamento acaba sendo a opção mais indicada.

De qualquer forma, ao optar por uma dessas escolhas é necessário analisar o que realmente é pertinente e qual o montante necessário para solicitar. Essas soluções não podem ser realizadas de forma aleatória e indiscriminadamente, pois sem um planejamento adequado, o recurso utilizado poderá trazer mais transtornos do que soluções.

Por conta disso, existem alguns cuidados que devem ser observados:

– Fique atento ao valor dos juros dos empréstimos. Eles nunca devem ser mais altos que a rentabilidade da sua empresa;

– Os valores devem ser quitados em dia. Atrasar parcelas provoca o aumento de juros e até multas, dificultando ainda mais o cumprimento do acordo;

– Os financiamentos necessitam de um planejamento completo para que sejam identificados os riscos, os prós e contras dessa transação.

Para auxiliar sua empresa no processo de expansão ou em situações de dificuldades existem empresas especializadas em gestão e finanças. Elas podem lhe orientar a tomar as melhores decisões para o seu negócio. Fale com os profissionais do Grupo BLB Brasil e mantenha sua empresa sempre saudável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *