Habilidades gerenciais: seja um ótimo gestor!

Habilidades gerenciais: seja um ótimo gestor!

6 minutos de leitura

Após muitos anos trabalhando na mesma empresa, o passo seguinte parece ser, naturalmente, a promoção para algum cargo superior. Acontece que, para muitos profissionais, esse momento parece nunca chegar. Aos poucos, o que era expectativa se torna frustração e é a partir daí que o profissional pode cometer uma série de erros.

Alguns desistem da empresa para a qual trabalham em busca de novas oportunidades. Outros preferem apostar em outras áreas, abandonando completamente a carreira. Mas será que isso é mesmo necessário? Na maioria dos casos, não.

Na verdade, em uma série de situações, o profissional tem vocação para a sua área, mas ignora que, para ocupar um cargo de gerência, é preciso desenvolver outras habilidades. Não bastam apenas os conhecimentos técnicos: é preciso apostar em uma capacitação específica, destinada aos profissionais que ocupam esse tipo de cargo.

Essas são as habilidades gerenciais, que englobam desde a capacidade de relacionamento interpessoal, até o gerenciamento de tarefas, rotinas e pessoas. Elas são indispensáveis para aqueles que buscam o crescimento profissional. Por serem tão importantes, resolvemos trazer neste post uma lista com as principais qualidades para que você seja um ótimo gestor. Confira a seguir!

Habilidades gerenciais e liderança

Muitas pessoas acreditam que os líderes são aqueles que ocupam cargos de chefia na empresa. Porém, isso não é verdade. O líder é a pessoa reconhecida pelo grupo, quer tenha uma “patente” ou não. Basta que todos confiem nas suas decisões e se sintam representados por ele.

A primeira da lista entre as habilidades gerenciais, portanto, é a liderança. Como conseguir esse “status”? Isso começa antes mesmo da promoção, é claro. Algumas das características mais marcantes do líder são a eloquência, a proatividade e o senso de comunidade. É a pessoa que consegue sempre visualizar o que é bom para o grupo. Para adquirir tal habilidade, comece desenvolvendo essas características para que todos o reconheçam.

Negociação

Imagine um cabo de guerra. Assim, é possível descobrir um pouquinho mais sobre a rotina daqueles que ocupam cargos de gerência. Cada um puxa para um lado: clientes, colaboradores, fornecedores e até os gestores do negócio. Acontece que, ao contrário da tradicional brincadeira, o objetivo do gerente é manter a corda no mesmo lugar, em equilíbrio entre todos os envolvidos.

Agora vamos falar um pouco sobre a habilidade de negociação. Pode ter certeza que muitas pessoas perdem cargos de chefia por serem intransigentes ou, no extremo oposto, flexíveis demais. O bom gerente deve negociar com todas as “forças” que o cercam. Para desenvolver essa habilidade, existe uma série de cursos que ensinam importantes técnicas de negociação.

Organização

De uma maneira bem resumida, as duas grandes tarefas de um gerente são monitorar e planejar. É preciso traçar metas, objetivos, ações, métricas e, principalmente, acompanhar todo o desempenho das equipes durante o processo.

Nossa próxima habilidade, portanto, é a capacidade de organização. Para aprimorar essa habilidade, o gerente deve procurar se desenvolver tanto do ponto de vista técnico quanto do tecnológico. No primeiro caso, é preciso conhecer as formas tradicionais de avaliação de mercado, como a análise SWOT e o benchmarking, por exemplo. Já no segundo, procurar tecnologias que facilitem as rotinas pode ser um bom começo, como os sistemas Enterprise Resource Planning (ERP) ou até aplicativos simples de gestão de tempo.

Comunicação

Ordens, reuniões, brainstorming. O que não faltam são situações em que o líder precisa desenvolver ao máximo a sua capacidade de comunicação. Por sinal, essa é a próxima habilidade a ser destacada por nós. É indispensável que ele estabeleça uma conexão transparente e confiável entre os seus subordinados.

Na questão da comunicação, vale a pena destacar a importância do feedback: um bom líder é capaz de orientar os colaboradores de maneira assertiva, buscando sempre a coesão do grupo. Além disso, é preciso definir com clareza como se dará o fluxo de informações entre a equipe. Evite os excessos, apenas uma plataforma, como a intranet, já pode dar conta do recado.

Determinação

É preciso destinar um pouquinho de atenção à determinação, pois ela abrange muito mais coisas do que parece. Sim, muitos interpretam a questão da determinação como a “força de vontade”, o que certamente é fundamental para um bom gerente. Acontece que essa não é a única “faceta” dessa habilidade.

Na verdade, o mais importante é que o gerente tenha a capacidade de tomar decisões definitivas. Ou seja, é preciso determinar um caminho com clareza e segui-lo com convicção. Se não consegue visualizar aonde quer chegar, dificilmente o gerente conseguirá o sucesso e rapidamente será substituído por outra pessoa mais determinada. Por isso, faça boas escolhas e se mantenha firme ao que foi planejado.

É claro que nem sempre é possível e recomendado permanecer firme em um caminho, por isso, trouxemos outra habilidade fundamental logo abaixo. Continue lendo.

Flexibilidade

Sim, o gestor precisa tomar decisões claras e caminhar com convicção em algum sentido. No entanto, como sabemos, o mercado nem sempre é estável. Por isso, é fundamental que o gerente tenha a capacidade de se adaptar aos novos cenários apresentados para que a empresa, como um todo, se mantenha resiliente.

É preciso não só “sentir” o mercado, como também ouvir cada um dos colaboradores. Afinal, são eles que lidam diariamente com os problemas e podem fornecer informações importantes. Assim, sempre que for necessário, o gestor pode mudar o curso de ação para se adaptar à nova realidade.

Motivação

Por fim, nossa última das habilidades gerenciais é a motivação. É fundamental que o gestor se mantenha sempre motivado. É por essa razão que é tão importante realizar um bom planejamento, com metas e objetivos claros. Além disso, mais importante do que se manter motivado, é fundamental que o gestor tenha a capacidade de motivar a sua equipe.

Além de participar ativamente das tarefas, é preciso que ele busque alternativas para que toda a equipe mantenha um nível de excelência em produtividade. Defina com clareza, por exemplo, quais são as condições de trabalho e procure sempre ouvir os colaboradores. Assim, é possível garantir um clima organizacional muito mais agradável e produtivo.

Gostou das nossas dicas sobre habilidades gerenciais? Não deixe de conhecer o nosso curso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *