O que mudou no exercício profissional do contador?

O que mudou no exercício profissional do contador?

6 minutos de leitura

A profissão de contador, que já foi conhecida como guarda-livros, vem ganhando a cada dia mais importância, inclusive com um maior destaque como a profissão do ano de 2016, uma vez que esse profissional vem sendo muito requisitado para prover informações gerenciais e estratégicas que podem fazer a diferença nas empresas — principalmente no momento de crise que o país atravessa. Neste post você vai entender a mudança no perfil do contador e o que é preciso para não perder a chance de se destacar no mercado.

Breve evolução da contabilidade

A contabilidade surgiu com a própria humanidade. Há relatos de registro de aumento patrimonial nas culturas mais antigas, uma vez que eram contabilizados o número de animais de um rebanho e seu crescimento a cada ano, por exemplo.

Na época do florescimento das ciências e das artes, na Itália do século XV, Luca Pacioli aprimora e divulga o método das partidas dobradas, que serviu, e serve até os dias de hoje, como base do conhecimento contábil.

Após diversos anos de evolução, a contabilidade se destaca como a ciência que registra, controla e estuda as movimentações que provocam alterações no patrimônio das entidades e, assim, passa a ser utilizada no auxílio das tomadas de decisão.

Evolução da contabilidade no Brasil

A criação do curso de Ciências Contábeis no Brasil se deu mediante o Decreto-Lei nº 7.988, de 22 de setembro de 1945. Já de acordo com o Decreto-Lei nº 9.295, de 27 de maio de 1946, foi regulamentado, também, o reconhecimento dos técnicos em Contabilidade.

Mas a partir do ano de 2007, especialmente em relação à observância da legislação societária, houve uma revolução na profissão contábil, que passou a ter uma maior responsabilidade em relação ao conteúdo, elaboração e apresentação das demonstrações.

Impactos das Leis 11.638/2007 e 11.941/2009 no exercício profissional do contador

As Leis 11.638/2007 e 11.941/2009 foram decisivas para a mudança no perfil do contador no Brasil. Com a chamada harmonização contábil, que mudou drasticamente a contabilidade brasileira, o contador teve que, em alguns casos, reaprender a Ciência Contábil, já que houve a inclusão, exclusão e mudança de diversos grupos contábeis, assim como a inserção de outras demonstrações e exigências que passaram a ser necessárias.

Além da legislação societária, começaram a vigorar os Pronunciamentos Contábeis emanados pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) que trouxeram novidades em relação a vários aspectos contábeis, como a exigência do Ajuste a Valor Presente, teste de Recuperabilidade entre outros, que obrigaram os contadores a buscar o conhecimento para que não fossem prejudicados.

SPED: outra grande mudança

O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) também revolucionou a contabilidade e tem exigido diariamente dos contadores a busca por conhecimento e adequação aos novos padrões de transmissão de obrigações acessórias.

Esse sistema mudou de forma substancial a geração de livros contábeis, tornando o processo inteiramente eletrônico com a utilização de arquivo com layout padrão e que deve ter assinatura digital.

Mudança no perfil do contador

A profissão contábil exige cada vez mais conhecimento do contador, e isso não pode ser alcançado sem muito estudo e dedicação. É preciso correr atrás de cursos, especializações, eventos e palestras relacionados às últimas novidades do mercado e que, além de enriquecer o currículo dos profissionais, trazem benefícios para os empresários, que passam a ter maior qualidade e segurança no registro de seus dados contábeis.

Já que o Brasil adotou normas internacionais, a exigência do inglês se faz necessária, uma vez que, apesar de traduzidos, houve a manutenção de muitos termos na língua original, o que pode exigir certo conhecimento dos contadores. A abertura da economia na década de 1990 também trouxe diversas empresas estrangeiras para o país, e esse é mais um motivo para a língua inglesa fazer parte do currículo do profissional da área.

Leia também -  Como os contadores podem acompanhar as mudanças no mercado

Desde 2015, a categoria de técnico em contabilidade não faz mais o exame para a obtenção da certificação junto ao CRC, o que acaba por aumentar a necessidade da busca de um curso superior para aqueles que sonham em ingressar nessa carreira tão promissora.

Além disso, devido ao crescente número de alterações na legislação e inserção de novas regras, o perfil do contador deverá ser cada vez mais voltado ao aspecto jurídico, já que a leitura e a interpretação de regras passaram a fazer parte da rotina contábil.

Com a criação do SPED, foi observada a necessidade do entendimento e uso de tecnologias, como computadores, sistemas de gestão e de envio de obrigações acessórias via internet.

Outra mudança no perfil do contador foi a posição do profissional nas empresas, não sendo mais encarado como somente um “gerador de guias” e passando, em muitos casos, a desempenhar o papel de controller, gerente ou auxiliar direto no processo de tomada de decisão. Assim, a profissão passou a exigir habilidades de comunicação, trabalho em equipe e outros conhecimentos, já que a contabilidade deverá ser complementada por outras ciências como administração, economia, direito, psicologia entre tantas outras que podem fazer parte da gestão.

Por fim, a própria mudança da visão do empresariado com relação à profissão tem impactado de forma favorável os profissionais da área, que têm atuado em diversas frentes, passando pela consultoria financeira e tributária e orientando em caso de reorganizações societárias e outros aspectos relacionados às empresas.

Neste post você viu as alterações no cenário contábil e quais os impactos para a profissão do contador, que passou de mero coadjuvante para destaque nas empresas em relação à tomada de decisão. A mudança no perfil do contador exigiu — e ainda exige — muito estudo, dedicação, conhecimento das leis e busca contínua pelo aprimoramento, além do conhecimento de inglês e outras habilidades que poderão ser requeridas em cargos de gerência e comando.

A profissão contábil tem se mostrado uma das mais procuradas dos últimos anos e ganhou um fôlego com a crise, não só contabilizando as mutações no patrimônio das empresas mas mostrando aos empresários quais os possíveis caminhos a serem seguidos.

Mantenha-se atualizado nas mudanças do mercado contábil com nossos cursos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *