Como fazer um planejamento estratégico de finanças?

Como fazer um planejamento estratégico de finanças?

8 minutos de leitura

O planejamento é a base do sucesso. Um planejamento estratégico de finanças aumenta as chances de que, no futuro, a empresa esteja no local certo e na hora certa para aproveitar as oportunidades e conquistar a tão sonhada vantagem competitiva.

Estabelecer estratégias não é apenas esperar que elas aconteçam. Antes, é preciso alocar recursos e traçar caminhos para transformar ideias em resultados, definir como medi-las, realizar uma previsão de custos, delegar tarefas e otimizar ao máximo o tempo de execução para uma maior produtividade e, consequentemente, uma melhor eficiência produtiva.

Planejamento estratégico de finanças

Sendo assim, constatamos quão importante é estruturar um planejamento estratégico de finanças para qualquer negócio.

Uma empresa que não se preocupa em elaborar um planejamento estratégico de finanças ou que não o faz de forma eficiente, fica inviabilizada de conhecer os passos que devem ser tomados no futuro. Por não saber aonde ir, o gestor não tem uma orientação e definição de que rumo seguir.

Vejamos alguns passos para um planejamento estratégico de finanças assertivo. Acompanhe nosso post!

Determinação da Missão, Visão e Valores

O passo inicial de qualquer planejamento estratégico de finanças é a definição da Missão, Visão e Valores da organização. Esse passo é o que determina o caminho para o qual a empresa deve direcionar seus esforços para as ações futuras.

A definição do trio Missão-Visão-Valores é um poderoso instrumento para planejar negócios diferenciados, aproveitar melhor as oportunidades de crescimento, desenvolvimento e para atrair colaboradores mais engajados com as atividades da empresa.

Essa definição permite que o gestor reflita sobre a importância do seu negócio diante do cenário no qual está inserido e sobre o futuro da empresa. Se a empresa já tem bem definida Missão, Visão e Valores, ela só precisa revisar e ajustar, caso necessário. Mas se a organização ainda não tem, leve em consideração:

Missão: representa o que é a organização, o real motivo pela sua criação (finalidade, propósito). Via de regra, é a missão que define a identidade da empresa e geralmente não se altera, permanece durante toda a existência da organização.

Visão: representa aonde ela deseja chegar e o que deseja alcançar. A Visão é criada para um período de tempo pré-determinado, podendo mudar de acordo com o momento e crescimento da companhia.

Valores: são princípios que servem de guia para o comportamento, a atuação, as atitudes e decisões de todas as pessoas envolvidas nas atividades da empresa. Ou seja, é a base para que a equipe, no exercício das suas responsabilidades e na busca dos objetivos, esteja executando a missão, na direção da visão, como comprometimento, confiança, responsabilidade, entre outros.

É importante destacar que o estabelecimento de Missão-Visão-Valores precisa ser compartilhado e compreendido por todas as pessoas da organização e não apenas ficar concentrada em níveis hierárquicos mais elevados ou mesmo ir para o fundo da gaveta ao final do planejamento.

Definição dos objetivos do seu planejamento estratégico de finanças

Os objetivos estratégicos são as metas amplas da organização e devem estar alinhadas com a Missão da empresa. Ou seja, para cada Objetivo Estratégico estabelecido e alcançado, a empresa passa a caminhar cada vez mais próximo do alcance da sua visão.

Como exemplos, podemos citar:

  • Melhorar o índice de satisfação dos clientes;
  • Alavancar as vendas;
  • Definir o ciclo comercial em um período pré-determinado;
  • Criar engajamento com a base de relacionamento.

Aqui vale a dica de começar a definição dos objetivos estratégicos sempre com um verbo e qualificá-los. É preciso que a definição seja sempre pautada na objetividade do ponto em que a empresa deseja chegar. Somente depois disso é que os projetos podem ser desenvolvidos, levando por base um bom planejamento.

Leia também -  Entenda as vantagens da comunicação entre os departamentos contábil e jurídico

Estabelecimento dos Objetivos Táticos (Metas)

Diferentemente dos Objetivos Estratégicos, que são amplos e abrangentes, a definição dos Objetivos Táticos leva em consideração cada unidade específica da organização. Em geral, são objetivos relacionados com cada área da empresa, como: produção, financeiro, estoque, recursos humanos, vendas, compras e demais departamentos.

De forma simplificada, podemos dizer que os objetivos táticos têm por finalidade especificar de que modo cada setor da organização será responsável por alcançar os objetivos gerais da empresa.

Aqui podemos citar:

  • Garantir que todos os produtos/serviços sejam comercializados com qualidade e dentro do prazo;
  • Garantir que todos os colaboradores passem por um treinamento a cada três meses;
  • Garantir que os itens em estoque estejam sempre no nível ideal, sem produtos sobrando e nem que venham a faltar;
  • Reduzir os custos operacionais sem afetar a qualidade;
  • Alcançar um maior nível de produtividade em um menor tempo.

Composição dos Planos de Ação (ou Objetivos Operacionais)

Podemos dizer que os Planos de Ação (ou Objetivos Específicos) são metas voltadas para a execução das operações da empresa, ou seja, referem-se a cada tarefa ou operação desempenhada.

De forma geral, é por meio do estabelecimento dos Planos de Ação que os objetivos táticos são alcançados e, por isso, cada etapa desse processo deve ser feita de forma eficiente e com total atenção.

Uma das principais características dos objetivos operacionais é a formalização, uma vez que se tornam diretrizes traçadas nas estratégias e devem ser mensuradas e gerenciais, formalmente especificadas em documentos e metodologias adotadas.

É importante lembrar que cada planejamento operacional deve conter: os recursos (financeiros, humanos e operacionais) necessários para colocar em prática cada objetivo, o que a equipe deve realizar para chegar a um melhor desempenho, os resultados esperados, além dos prazos e responsáveis pela sua execução.

Em geral, os Planos de Ação levam em consideração 7 perguntas básicas, conhecidas como 5W2H:

  • What? (O quê?)
  • Why? (Por quê?)
  • Who? (Quem?)
  • Where? (Onde?)
  • When? (Quando?)
  • How? (Como?)
  • How much? (Quanto custa?)

Utilização da análise 360º de oportunidades de negócio

É uma importante ferramenta para verificar se sua ideia de negócio é ou não viável. Ajudando a identificar seu possível público-alvo, qual seria o faturamento, entre outras variáveis. Essa é uma importante análise para empreendedores de primeira viagem que estão com inúmeras ideias e desejam saber qual a melhor oportunidade.

Para iniciar a análise 360º, é preciso que o empreendedor selecione a ideia que será avaliada. No caso de haver mais de uma ideia, é preciso que a análise se repita para cada uma delas. De maneira geral, essa análise é realizada em duas etapas:

Aspecto externo: avaliação da relação da ideia com o mercado externo.

  • O cliente vê os produtos/serviços e já vê que são a melhor solução para seu problema?
  • Consegue atender um número significativo de pessoas?
  • Tem potencial de lucratividade e rentabilidade?
  • Tem diferenciação/inovação?

Aspecto interno: avaliação da relação da ideia com o perfil do empreendedor.

  • É uma ideia que você gostaria de desenvolver?
  • É algo que estimula a sempre buscar a inovação e a aprender mais?
  • Tem um mercado consumidor amplo? Grande o suficiente para que a ideia tenha impacto no mercado?

Prática da análise SWOT

A análise SWOT é um braço acessório do processo de planejamento estratégico de finanças. Ela se baseia num conceito simples e intuitivo que permite montar de forma esquemática uma tabela de quatro quadrantes, onde serão listadas as forças e fraquezas, as ameaças e oportunidades que podem se abater dentro da organização.

Leia também -  Qual a importância da tecnologia para a área contábil?
Ambiente Interno FORÇAS FRAQUEZAS
Ambiente Externo OPORTUNIDADES AMEAÇAS

 

Pela sua simplicidade, a análise SWOT pode ser utilizada para qualquer tipo de cenário ou ambiente. Entre alguns dos objetivos da análise SWOT se destacam:

  • Realizar uma síntese das análises externas e internas;
  • Identificar e estabelecer prioridades de atuação;
  • Estabelecer ações estratégicas: riscos e problemas que devem ser resolvidos;
  • Diagnosticar os pontos positivos (que devem ser fortalecidos), quais pontos devem ser melhorados, quais as chances de crescimento, quais as oportunidades, entre outros;
  • Realizar uma previsão de vendas de acordo com as condições do mercado e a capacidade produtiva da empresa;
  • Ambiente interno (Forças e Fraquezas): padronização dos processos, eliminação de gargalos que impedem um melhor desempenho e foco nas operações principais;
  • Ambiente externo (Oportunidade e Ameaças): confiabilidade nos dados, redução de erros e apoio no processo de tomada de decisão.

O objetivo maior de quem utiliza a Matriz SWOT é determinar a melhor maneira de usar as forças da empresa para potencializar suas oportunidades e se livrar das ameaças. Por outro lado, é preciso que o empreendedor determine ações para que suas fraquezas não venham a destruir suas oportunidades ou, pior, tornem ainda mais destruidoras as ameaças.

Agora você já sabe a importância de um planejamento financeiro para seu negócio. Aproveite que as finanças são um assunto de seu interesse e confira nosso curso de Finanças Corporativas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *