Tudo o que você precisa saber sobre as startups

Tudo o que você precisa saber sobre as startups

6 minutos de leitura

“Bill Gates e outros milionários investem em startups.” “Crise ajuda a impulsionar startups no Brasil.” “Financiamentos para startups nos EUA têm alta recorde.”

Notícias como essas estão cada vez mais comuns nos veículos de imprensa, demonstrando que as startups são agora o que as franquias eram na década de 90.

Estar “na crista da onda” não significa ter sucesso garantido, ou melhor, sucesso duradouro. Para uma startup ser bem-sucedida e permanecer gerando lucro, que é o que importa de fato, é preciso muito mais do que uma ideia revolucionária.

Vamos abordar neste artigo o que é necessário para abrir uma startup e todas as questões envolvendo esse formato de empreendimento. Mas, antes de entrarmos nesse universo inovador, temos que entender um pouco mais sobre o conceito da startup.

O que é uma startup?

Toda e qualquer empresa que esteja em seu início no mercado pode ser chamada de startup, mas o termo é utilizado hoje com mais frequência para definir um formato específico de empresa com características próprias.

Para ser considerada uma startup, a empresa deve ter um perfil empreendedor e inovador, ou seja, deve apresentar um produto ou serviço diferente do que existe no mercado. Por conta disso, seu ambiente muitas vezes é caracterizado como arriscado, já que com o lançamento de um produto novo, a reação do mercado é incerta.

Sendo um mercado de alto risco, outra característica importante é o baixo custo de investimento, mas sempre buscando alta lucratividade.

Possuir um formato de negócio escalável e constante também são atributos de uma startup, uma vez que esse empreendimento deverá possuir uma estrutura capaz de oferecer o mesmo produto de forma ilimitada sem adaptações e variações.

Por ser um modelo de negócio de baixo custo inicial, a maioria das startups prioriza seu funcionamento pela internet, além de que esse veículo torna mais fácil sua expansão.

Dois exemplos mundiais de startups de sucesso que podemos citar são a Netflix, serviço que disponibiliza filmes e séries via internet, e o Uber, aplicativo de locomoção mais econômico que o táxi.

Quero abrir uma startup

Para abrir qualquer empresa, independente do seu formato ou modalidade, é necessário o cumprimento de algumas regras e obrigações que garantirão segurança e conformidade legal. Com as startups não é diferente. Se você tem interesse nesse negócio, fique atento a algumas orientações:

Entenda a legislação

Informações sobre o tipo de negócio e as leis referentes a ele são fundamentais para começar uma startup. Esse é o primeiro passo para sua criação, pois qualquer irregularidade jurídica pode inviabilizar seu negócio. Direitos do consumidor e resoluções de agências regulatórias também são importantes serem estudados. Uma maneira segura de começar seu negócio é com ajuda de especialistas. Uma orientação jurídica esclarecerá todas as dúvidas para que sua startup inicie as atividades de acordo com a lei.

Atenção quanto à sua marca

Depois das informações sobre a legislação, você precisa de um nome para seu negócio. Tão importante como a criação do nome é o seu registro. Isso evita que existam outras empresas com o mesmo nome que a sua. Fique atento às regras de registro, como expressões proibidas, por exemplo. O registro é feito pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Crie um Memorando de Entendimentos pelos Empreendedores

Principalmente se sua empresa possuir sócios, uma boa dica é a criação de MOU, Memorandum of Understanding. O MOU é um acordo de cooperação e esclarecimentos entre as partes envolvidas no projeto e pode evitar conflitos. Definição de funções, investimentos individuais e divisão de lucros são alguns dos pontos básicos que devem estar nesse documento.

A importância da confidencialidade

Uma das características principais das startups é a criação de uma nova ideia. Então, para que essa ideia não seja copiada e permaneça segura, um acordo ou contrato de confidencialidade é de extrema importância. Esse acordo deve conter garantias aos criadores da ideia e o comprometimento dos envolvidos no projeto de manter sigilo absoluto sobre informação, dados e documentos. No caso de quebra de sigilo, o responsável pelo “vazamento” de tal informação deve ressarcir os criadores.

Como captar recursos para a criação de startups?

Agora que você já tem orientações sobre como abrir uma startup, é o momento de entender as opções para captação de recursos. Existem inúmeras formas de angariar fundos para viabilizar seu negócio. Listamos algumas que valem a pena serem avaliadas:

Bootstrapping: quando o empreendedor ou o grupo envolvido utiliza do próprio dinheiro para investir na empresa. Essa é a forma mais comum utilizada pelas startups, até obterem investimentos maiores, geralmente oriundo dos primeiros clientes.

Incubadoras: o modelo mais tradicional de investimento, as incubadoras são empresas cuja intenção é fazer com que outras empresas, no caso as startups, se desenvolvam. Elas oferecem um suporte nas formas de negócio, acesso a recursos, técnicas de apresentação, entre outras soluções visando a prosperidade do empreendimento.

Investimento-anjo: esse formato de investimento é realizado por profissionais atualizados nas tendências do mercado e experientes em tecnologia e inovação. O principal objetivo do investidor-anjo é investir em negócios que tenham alto retorno. Muitas vezes sua intenção, além do investimento financeiro, é contribuir também com seu conhecimento técnico. Em troca, ele pode exigir sociedade no negócio.

Capital semente: indicado para startups em fase inicial e na organização das operações. Por meio de fundos privados, os investidores, que podem ser pessoas físicas ou jurídicas, captam recursos em grupo. Como são mais seguros, acabam sendo mais vantajosos financeiramente para os empreendedores.

Crowdfunding: é um financiamento coletivo muito indicado para startups. Por meio de plataformas colaborativas virtuais (na internet), o empreendedor apresenta o projeto em forma de uma campanha e o valor necessário para ele sair do papel. Os colaboradores e financiadores geralmente recebem benefícios ou recompensas relacionadas ao produto ou serviço da startup e proporcionais aos investimentos.

Independente se você vai abrir uma startup ou um negócio convencional, amenizar riscos significa ter ajuda de quem entende de negócios e suas obrigações. A BLB Brasil Auditores e Consultores possui profissionais especializados, que podem orientar você no desenvolvimento do seu projeto.

Gostou deste post? Conheça outros textos no nosso blog para conhecer mais sobre Gestão e Finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *