Avaliação de ativos e Teste de Impairment

Criado para comprovar a recuperabilidade dos ativos, o Teste de Impairment (também conhecido como Avaliação de Recuperabilidade de Ativos) apresenta a  deterioração de um ativo, ou seja, a queda na capacidade de gerar rentabilidade futura que determinado ativo possui.

Quando ocorre a perda por desvalorização de um ativo?

A perda por desvalorização ocorre quando o valor contábil de um ativo excede seu valor recuperável. Como definição, valor recuperável é o maior valor entre o valor líquido de venda e o valor em uso.

teste de impairment

Periodicidade do Teste de Impairment

A entidade deve avaliar ao fim de cada período de reporte, se há alguma indicação (interna ou externa) de que um ativo possa ter sofrido desvalorização. Se houver alguma indicação, a entidade deve estimar o valor recuperável do ativo.

Nos casos de “ágio pago por expectativa de rentabilidade futura (goodwill)”, “ativo intangível com vida útil indefinida” e “ativo intangível ainda não disponível para uso” o teste do impairment deve ser efetuado no mínimo anualmente, independentemente de existir ou não qualquer indicação de redução ao valor recuperável.

Nossa metodologia do Teste de Impairment

Para atender à nova realidade com eficácia e objetividade, o Grupo BLB Brasil estudou e definiu sua própria metodologia de trabalho com técnicas específicas para cada etapa do Impairment, como a análise de ativos, ágio, definição do tempo de vida útil remanescente dos ativos, determinação do valor justo de uma Unidade Geradora de Caixa (UGC) e outros, incluindo o tratamento contábil adequado.

A maior segurança na avaliação dos ativos de sua empresa está com quem tem experiência e conhece os métodos aplicados. Conte com a equipe multidisciplinar e especializada em avaliação de ativos da BLB Brasil!


 

Para compreender melhor o impacto do Teste de Impairment, confira agora o artigo Finanças e o futuro no mundo corporativo.

Quero saber mais

Serviços - Como podemos lhe ajudar?
Enviando...

Mais serviços em Auditoria Independente

[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]