9 dicas de gerenciamento do capital de giro

9 dicas de gerenciamento do capital de giro

8 minutos de leitura

Devido à importância do capital de giro, gerenciá-lo de forma eficiente é fundamental para o desenvolvimento de qualquer empresa.

O capital de giro consiste na quantidade de recursos (dinheiro) que a empresa tem disponível em caixa para manter o bom andamento das suas atividades em um determinado tempo. Isso garantirá que ela se mantenha no mercado de forma adequada e, por isso, é um dos elementos essenciais para qualquer tipo de negócio.

Quando acontece a ausência de capital de giro disponível, o estabelecimento pode ter vários problemas e correr grandes riscos, por isso, independentemente do seu porte, cuidar dessa parte do negócio é primordial.

Pensando nisso, elaboramos neste texto algumas dicas de como gerenciar melhor o capital de giro da sua empresa. Boa leitura!

Qual a importância do capital de giro?

O capital de giro oferece segurança ao negócio. Com a sua falta, a empresa pode sofrer diversas situações inoportunas, como a baixa nas vendas, que acarreta a inadimplência dos seus compromissos, falta de competitividade, perda de espaço no mercado e, até mesmo, o fechamento da organização.

Já um capital de giro quando bem administrado, mantido em quantidade suficiente para a manutenção do negócio, contribui para uma maior geração do lucro, garantindo o êxito e desenvolvimento da empresa. Podemos dizer que ele está diretamente ligado ao sucesso do empreendimento.

A atenção com o capital de giro é algo que deve acontecer desde o início, quando ainda não existe a clientela. É ele que vai possibilitar que a empresa vença os primeiros empecilhos.

Manter o bom controle do capital de giro é importante para que a empresa:

  • saiba o momento ideal para realizar compras;
  • realize o pagamento das contas com prazos curtos e mantenha o caixa positivo;
  • equilibre as contas do ativo e passivo;
  • consiga cobrir os gastos necessários para a realização de atividades da empresa;
  • possibilite a geração de riqueza do negócio a longo prazo; entre outros.

Como administrar bem o capital de giro?

1. Registre todos os recebimentos corretamente

Para assegurar que as análises financeiras sejam as mais exatas possíveis e que possam ser consideradas no momento das tomadas de decisões, é importante que o fluxo de caixa seja monitorado periodicamente pelo gestor da empresa, pois é por meio dele que todas as entradas e saídas vão ser acompanhadas e comparadas com o dia a dia da empresa.

Mas preste atenção! Esses valores devem ser lançados de forma correta. Fazer anotações equivocadas pode gerar grandes problemas, pode ocorrer de contar com um valor que, provavelmente, não vai receber ou que já está comprometido.

Para evitar alguns imprevistos e não atrapalhar a análise que será realizada, os registros devem ser feitos rigorosamente, de acordo com o tipo de operação realizada.

Por exemplo, em uma operação de venda com pagamento via cartão é preciso anotar se é crédito ou débito. Caso seja crédito parcelado, por exemplo, é necessário anotar a quantidade de vezes do recebimento.

2. Mantenha atenção com os valores a receber

Alguns gestores cometem uma falha bem séria na hora de contrair as dívidas, que é mensurar a previsão de entradas baseados nas carteira de recebíveis sem qualquer crivo mais crítico, ou seja, sem considerar possíveis inadimplências.

Agindo assim, é bem provável que a organização possa apurar uma redução ou até mesmo falta de capital de giro, já que assumir dívidas contando com uma quantia incerta de dinheiro pode ocasionar a falta no caixa.

Leia também -  Blindagem ou Proteção Patrimonial? Conheça as modalidades e saiba por que proteger seu negócio é melhor

3. Solicite ao fornecedor prazos maiores

Uma forma de tentar manter o capital de giro sempre positivo é negociar melhor com os fornecedores. É sempre interessante tentar conseguir prazos maiores de pagamento.

Depois de negociar com os fornecedores, ofereça um prazo menor de pagamento para os clientes, assim o valor será recebido antes das contas vencerem e, no momento de quitar as dívidas, a empresa já estará com o dinheiro em caixa, reduzindo os risco de chegar o dia de vencimento das dívidas e não ter recurso disponível.

Se a empresa se encontrar inadimplente, tente renegociar as dívidas e, se possível, tente diminuir as taxas de juros, considerando que elas também consomem uma quantia considerável do capital de giro.

4. Elabore um planejamento financeiro eficaz

Crie um bom planejamento financeiro, mapeando todas as ações da empresa. Esse ato permitirá ter uma visão mais ampla do negócio no momento em que for preciso tomar alguma decisão e garantir que os recursos do caixa sejam gastos de forma coerente, mantendo o capital de giro sempre em um nível elevado.

Todo gestor quer a tranquilidade de sempre ter crédito disponível, não é mesmo? Mas não é tão fácil assim! Porém, nada que um planejamento financeiro eficaz não possa resolver, e contar com a ajuda de profissionais qualificados e que entendem do assunto também ajuda muito nessa questão. Eles conhecem a importância do capital de giro e, por isso, conseguem elaborar estratégias para aumentar e manter esse recurso sempre nos trilhos.

5. Aprimore a administração do estoque

Possuindo uma quantia de capital de giro considerável, você consegue adquirir todos os produtos necessários para atender os pedidos dos clientes da empresa, já que o capital de giro pode ser utilizado para realizar o pagamento dos fornecedores.

Agora, se o seu estoque se encontra com excesso de mercadorias, isso pode ser um problema, pois pode significar que o capital não está sendo bem investido. Ou seja, as vendas não estão acontecendo da forma esperada e o capital de giro foi aplicado em compra de produtos desnecessariamente.

Diante desse contexto, procure por soluções que melhorem a gestão do estoque e que controle bem as vendas. Busque por informações mais concretas a respeito de quais elementos e as quantidades que são suficientes para manter em estoques. Dessa forma, você produzirá efeitos bem positivos na administração do capital de giro da empresa no que se refere ao estoque.

6. Invista em softwares de gestão

O uso de um software de gestão específico automatizará todo o processo de controle do capital de giro, otimizando o seu tempo, já que o uso de planilhas exige um gasto muito maior da sua atenção. Isso permitirá que você identifique e solucione os problemas de forma muito mais rápida.

O tempo que você economiza transferindo essa atividade para uma ferramenta adequada pode ser utilizado para tomar conta de outras áreas do negócio que precisam da sua atenção. Sem contar que as chances de erros de um sistema como esse são muito menores, ou seja, ele é mais confiável.

Existem no mercado alguns aplicativos de finanças e, por meio deles, você consegue emitir relatórios, fazer contas e demais atividades indispensáveis para o seu negócio, de forma muito mais simples.

7. Evite fazer empréstimos

Toda empresa está suscetível a ter o capital de giro disponível reduzido, devido às diversas situações. Então, a primeira alternativa que vem à cabeça dos gestores é solicitar um empréstimo, por ser uma das maneiras mais rápidas de conseguir repor o dinheiro no caixa.

Leia também -  A importância da integração de novos profissionais

Porém, você não pode se esquecer das taxas de juros que são aplicadas em cima da quantia solicitada que, geralmente, são bem altas. Então, antes de contratar o empréstimo, pense bem se não existem outras opções menos onerosas.

8. Precifique os produtos corretamente

Quando a precificação do produto é feita de maneira incorreta, ou seja, o produto vale mais do que o preço que foi estabelecido, a empresa começa a ter prejuízos, pois ela deixará de lucrar com aquele produto, e a redução da lucratividade traz impactos negativos para a manutenção do capital de giro do negócio.

Acontece a mesma coisa quando o preço do produto é taxado por um valor muito acima do que o mercado esta disposto a pagar. Com isso, as vendas tendem a não acontecer e, consequentemente, trazem o risco de a empresa não conseguir honrar com seus compromissos.

O valor a ser estabelecido também precisa ser condizente com aquele que o mercado oferece, assim você consegue chegar a um consenso e ter equilíbrio entre o tanto que deseja lucrar e o valor que o cliente está preparado para pagar.

9. Tenha um sistema de cobrança eficaz

É muito difícil encontrar uma empresa que não tenha sequer um cliente inadimplente, principalmente por causa da situação econômica do país nos últimos tempos. Acontece que, quanto mais clientes devedores o negócio tem, mais capital de giro será necessário ser utilizado.

Por isso, adotar um sistema de cobrança efetivo, como as ferramentas próprias para esse tipo de tarefa e departamentos especializados em cobranças, que contam com profissionais experientes e que conhecem diversas estratégias para conseguir êxito nas negociações, ajuda a evitar os problemas financeiros da empresa por falta de pagamentos dos clientes.

Deu para entender a importância do capital de giro para as empresas, certo? Por isso, é essencial estar sempre atento ao gerenciamento desses recursos para garantir o sucesso do seu negócio. Para isso, siga as nossas dicas, faça um bom planejamento e conte com profissionais qualificados. Dessa forma, é possível que você mantenha ou aumente o capital de giro sem erros!

Agora que você está preparado para gerenciar o capital de giro da sua empresa de forma correta, deixe seu comentário aqui no post e compartilhe com a gente todas as suas experiências e dúvidas sobre o assunto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *