Contabilidade industrial: 5 dicas para você aplicar na sua empresa

Contabilidade industrial: 5 dicas para você aplicar na sua empresa

9 minutos de leitura

Até mesmo para quem já tem muitos anos na área contábil, existem assuntos que são novidade. Para a maior parte dos contadores, por exemplo, a contabilidade industrial ainda não faz parte do dia a dia. Ao mesmo tempo, esse é um conceito que pode ser de extrema utilidade nas empresas, principalmente para quem atua com clientes — ou dentro de uma organização — da própria indústria.

Pensando nisso, preparamos este post com o objetivo de apresentar um panorama sobre a contabilidade industrial, além de transmitir diversas dicas práticas para que esse conceito possa ser aplicado nas empresas.

Neste conteúdo, abordaremos em destaque a contabilidade de custos, já que essa é a área mais sensível em uma indústria. Somado a isso, também traremos outros pontos que podem ajudá-lo a organizar as despesas e que auxiliarão na administração dos gastos e insumos.

Quer aprender mais sobre contabilidade industrial e sua aplicação nas instituições? Continue acompanhando o artigo!

Saiba o que é contabilidade industrial

A contabilidade industrial — também conhecida como contabilidade analítica ou contabilidade de custos — consiste no processo de identificar e tratar custos de produção que contribuam para o produto final de uma organização. Por esse motivo, esse tipo de contabilidade acaba sendo utilizado com mais ênfase no setor industrial.

São englobados custos como matéria-prima, bens subsidiários, mão de obra, energia, transportes, produção, embalagem, marketing, comercialização, entre outros.

Em uma indústria, são muitos os fatores que envolvem a composição do custo do produto final e, por isso, a única forma acurada de determinar esse custo final é uma contabilidade voltada especialmente para tal finalidade.

Sendo assim, a contabilidade industrial ou de custos permite que uma instituição conheça exatamente o total de gastos para produzir um determinado item, podendo utilizar esses dados para calcular o valor de revenda e a margem de lucro.

Surgimento da contabilidade industrial

A contabilidade industrial, ou contabilidade de custos, ganhou força na Revolução Industrial. Naquela época, a atividade deixou de ter como foco principal os estoques e passou a se ocupar das diferentes técnicas de custeio, ganhando também o nome de contabilidade analítica.

Nem sempre houve um consenso entre as nomenclaturas e o conceito, mas uma coisa é certa: a contabilidade de custos sempre foi a área mais sensível em uma indústria, fazendo toda a diferença nos resultados obtidos.

Conheça os benefícios da contabilidade de custos

A contabilidade de custos visa produzir informações para os diferentes níveis gerenciais de uma empresa. Alguns dos principais benefícios gerados são:

Planejamento e controle das operações

Em qualquer indústria, torna-se praticamente impossível planejar — seja a curto, médio ou longo prazo — se a organização não tiver em mãos dados concretos e confiáveis. A partir das informações levantadas, a contabilidade industrial auxilia no planejamento e no controle das operações.

Tomada de decisões estratégicas

Informações de qualidade são o ponto de partida para qualquer decisão assertiva. Quando a empresa documenta os custos e é capaz de fazer uma análise clara e inteligente sobre eles, as tomadas de decisões estratégicas ficam muito mais simples.

Redução de custos

Um dos objetivos de toda indústria é reduzir custos para, consequentemente, ampliar suas margens de lucro. Quando a empresa pratica esse tipo de contabilidade, fica mais fácil identificar pontos de cortes de despesas, assim como oportunidades para realizar ajustes e produzir mais com o mesmo investimento.

Confiabilidade

A contabilidade de custos utiliza métodos de custeio para padronizar a coleta, a classificação e o processamento de dados. Dessa maneira, as informações com as quais a empresa trabalha passam a ser muito mais confiáveis, tanto para decisões internas como para apresentar a possíveis clientes e parceiros.

Leia também -  Plano de contas: entenda por que é importante desenvolvê-lo!

Diferencial competitivo

No mercado brasileiro, boa parte das empresas ainda trabalha com um sistema de custeio básico, simplificando a apuração dos valores que realmente são gastos no processo de produção. Ou seja, as organizações que optam por trabalhar com custos detalhados geram naturalmente uma vantagem competitiva em relação à concorrência.

Tenha ferramentas para gestão de informações

A contabilidade industrial torna-se muito mais eficiente quando a empresa conta com ferramentas adequadas, já que elas auxiliam na determinação do custo dos produtos.

Por isso, é fundamental que as equipes tenham à disposição ferramentas que ajudem a registrar dados sem dificuldades, além de extrair informações confiáveis para que os exatos custos de produção sejam levantados.

Dessa maneira, todo o processo acaba ficando mais ágil, fazendo com que os envolvidos encontrem rapidamente oportunidades para reduzir custos e melhorar processos.

Alguns exemplos de ferramentas para facilitar a contabilidade industrial são:

Sistemas de gestão

Softwares de gestão empresarial ou sistemas específicos para gestão de custos podem ser extremamente úteis para organizar e administrar a vasta quantidade de informações existentes no processo de produção.

Eles permitem que todos os dados sejam reunidos em um só lugar, facilitando o acesso e a visualização por todos os gestores ou colaboradores envolvidos, além de incentivar a alimentação de dados no sistema.

Dentro de um sistema de gestão empresarial ou até mesmo em planilhas separadas, é possível implementar os sistemas sugeridos a seguir.

Sistemas de estimativa de custo

Permitem gerar, de forma rápida e consistente, estimativas precisas sobre custos, sem necessariamente exigir um conhecimento especializado em produção.

Sistemas de relatórios

Podem ser usados para registrar e monitorar indicadores-chave de performance (KPIs) e metas de gestão de custos ao longo do tempo.

Sistemas de análise

Possibilitam pesquisar grandes volumes de informações, identificar riscos e tendências de custos com maior facilidade. Além disso, permitem rastrear custos com base em listas de materiais e processos de produção.

Coloque em ação essas 3 dicas macro para atuar na contabilidade industrial

1. Aprofunde seus conhecimentos sobre o setor

Na indústria, o lucro é obtido a partir da transformação de matéria-prima em um produto final e isso envolve algumas particularidades. Na contabilidade industrial, o processo até o lucro final envolve funções supletivas específicas, como:

  • função mercantil: compra de matéria-prima e venda do produto final;
  • função técnica: transformação dos materiais;
  • função financeira: obtenção de financiamentos e aplicação de capitais;
  • função econômica: crescimento do patrimônio empresarial por meio dos lucros obtidos;
  • função social: geração de bens de utilidade e empregos.

2. Diferencie contabilidade comercial de contabilidade industrial

Para identificar o custo de uma mercadoria na contabilidade comercial é só somar o valor pago por ela aos tributos não compensáveis, mais alguns custos acessórios como fretes e seguros. Já na contabilidade industrial, o trabalho é mais complexo, uma vez que a transformação de matéria-prima em produto final envolve custos como energia elétrica, água, mão de obra etc.

Sendo assim, é necessário levar em conta não somente o valor investido em matéria-prima, mas também os custos de produção. Outro ponto é que o lucro só será conhecido depois que a venda for concluída, pois a ela aplicam-se ainda despesas administrativas, financeiras e comerciais.

3. Conheça as terminologias da contabilidade industrial

Mais do que palavras específicas, as terminologias ajudam a implementar a contabilidade industrial nas empresas, pois englobam as variáveis necessárias para os cálculos. São elas:

  • despesas: são os gastos de consumo sem ligação com o processo produtivo, mas ligados ao comercial e administrativo;
  • custos: são todos os gastos de consumo ligados ao processo produtivo;
  • investimentos: são os realizados com expectativa de um futuro retorno financeiro;
  • gastos: qualquer direito ou bem adquirido que esteja diretamente ligado às despesas, custos e investimentos. São divididos em gastos por consumo (genéricos no processo produtivo) e gastos financeiros (valores para pagamentos de obrigações e aquisição de bens);
  • desembolso: são valores gastos na aquisição de bens e serviços para a indústria, como materiais de escritório e produtos de limpeza;
  • perdas: são gastos indesejados e não propositais que ocorrem eventualmente na empresa;
  • desperdício: são gastos que ocorrem com frequência na empresa, podendo ser controlados.
Leia também -  Mapa de competências: o que é e qual a sua importância?

Aplique estas 5 dicas para contabilidade industrial na sua empresa

1. Separe os gastos de acordo com as diferentes terminologias

Nem todos os gastos têm a mesma finalidade. Para ter um controle de custos bem apurado, separe-os de acordo com as categorias que mostramos no tópico anterior. Isso permitirá uma análise eficaz das informações, podendo controlá-las de maneira independente.

2. Conheça os custos diretos e indiretos

Dentro dos custos, que são gastos de consumo ligados ao processo produtivo, há custos diretos e indiretos. Para fabricar uma caneta, por exemplo, a indústria precisa custear o valor da matéria-prima, que é um custo direto.

Porém, também precisa pagar outros custos comuns a fabricação de outros itens como salários e encargos dos funcionários e gastos com energia elétrica, configurando um custo indireto. Sendo assim, a contabilidade industrial colabora para controlar o material, o custo da mão de obra entre outros.

3. Descubra o ponto de equilíbrio

Como você sabe, basicamente, o ponto de equilíbrio é o valor para “empatar” o negócio. Em uma indústria, ele vem do valor de produção menos o valor dos custos indiretos.

4. Determine o preço de venda

A partir do ponto de equilíbrio é possível determinar o valor de venda ideal para começar a ter lucro. Para isso, é fundamental que o preço cubra também os custos diretos de produção (além dos indiretos), caso contrário cada unidade produzida gerará prejuízo.

Se a quantidade de itens vendidos for baixa demais, uma das alternativas a seguir deverá ser adotada:

  • o valor de cada item deverá ser aumentado;
  • será necessário encontrar fornecedores com matéria-prima mais barata;
  • a empresa deverá reduzir a produção até alcançar uma margem de lucro satisfatória.

5. Planeje o crescimento

Ao utilizar a contabilidade industrial, você conta com um alto número de informações. Esses dados podem indicar a necessidade de medidas como contratações e investimentos.

Assim, a contabilidade industrial também deve ser usada para elaborar um planejamento estratégico antes de adquirir crédito ou investir.

Viu só? São muitas as possibilidades de utilização e os benefícios da contabilidade industrial. Não há dúvida de que na indústria é preciso acompanhar todos os custos de perto, podendo tomar decisões assertivas e definir com exatidão o preço de venda.

Se você gostou deste conteúdo, aproveite para nos seguir no Facebook e no LinkedIn.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *