Investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento podem se tornar diferenciais competitivos

2 minutos de leitura

Setores de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) têm se multiplicado em empresas de diversos segmentos. São equipes e laboratórios direcionados a imaginar, criar e testar novos produtos e serviços ou mesmo a estudar maneiras de melhorar processos para otimizar tempo, recursos e gerar retorno financeiro.

Benefícios

Investir capital humano e financeiro em P&D pode criar uma rotina de inovações e vantagens para a empresa, tais como produtos e soluções pioneiros no mercado e a patente e os direitos de exclusividade sobre os diferenciais nascidos dentro da organização.

Quem pode aplicar

Enganam-se as pessoas que acreditam que P&D só podem ser implementados em empresas que trabalham com tecnologia. Apesar de a tecnologia poder estar presente no processo de pesquisa e desenvolvimento, ela não necessariamente tem de ser o ramo de negócio da organização.

Indústrias farmacêuticas, alimentícias e de informática já colhem frutos gerados por suas equipes de P&D. O horizonte é amplo e mesmo setores que parecem distantes da proposta podem apostar fichas, como empresas varejistas, de comunicação, têxteis e diversas outras.

Gestão de P&D

O caminho percorrido pela equipe de pesquisa e desenvolvimento geralmente envolve os seguintes passos:
– Geração de ideias;
– Triagem de ideias;
– Análise comercial ou de processos;
– Desenvolvimento do produto, serviço ou processo;
– Testes; e
– Comercialização ou aplicação.

São necessárias muitas ideias para que poucas delas realmente cheguem ao mercado ou sejam aplicadas na empresa. Após brainstorms em conjunto ou agrupamento de sugestões obtidas individualmente, as ideias passam por uma triagem que avalia quais têm potencial de alcançar seus objetivos.

A fase de análise visa verificar a viabilidade da proposta, estimando custos, vendas, lucro, otimização de recursos e os demais pontos relacionados com a ideia. Se o resultado da análise for positivo, passa-se então para o teste.

Durante o teste é feita uma amostragem da ação para apurar seus efeitos (aprovação ou rejeição) e relacionar com os custos. Com o balanço final é possível avaliar se a ideia será ou não comercializada ou implementada pela empresa.

Como fomentar

Além da equipe de P&D, com processos, estrutura e tecnologia adequados à disposição, a empresa pode aproveitar a presença de todos seus colaboradores, estimulando por meio de programas ou concursos de ideias. Essa tática gera engajamento, aproximação, debates e ainda tem o benefício de trazer à tona as opiniões de funcionários que não necessariamente trabalhem em setores ligados ao desenvolvimento de produtos e serviços.

Parcerias também podem ser firmadas com outras empresas que tenham interesse em inovação, como celeiros de startups ou equipes externas terceirizadas para lidar com projetos especiais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *